Vendas no varejo e preços ao produtor dos EUA indicam crescimento lento

sexta-feira, 13 de setembro de 2013 12:59 BRT
 

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON, 13 Set (Reuters) - A confiança do consumidor dos Estados Unidos diminuiu no início deste mês e as vendas no varejo cresceram levemente em agosto apesar da forte demanda por automóveis e por outros itens de alto custo, as indicações mais recentes de que o crescimento econômico desacelerou no terceiro trimestre.

A falta de ímpeto na economia foi destacada por outros dados nesta sexta-feira mostrando aumento conduzido pelo setor energético nos preços ao produtor no mês passado, mas com pressões inflacionárias sob controle.

Entretanto, os sinais de fraca demanda doméstica não devem deter o Federal Reserve, banco central dos EUA, de começar as reduções em seu programa de compra de títulos a partir da próxima semana.

"A demanda está provavelmente boa o suficiente para estimular o Fed a reduzir as compras de ativos em pequena quantia na próxima semana", disse o economista-sênior da BMO Capital Markets, Sal Guatieri.

A leitura preliminar do índice geral sobre a confiança do consumidor da Thomson Reuters junto à Universidade de Michigan caiu para 76,8 em setembro, a mínima desde abril. A confiança caiu em meio a preocupações quanto às altas taxas de juros.

As vendas no varejo cresceram 0,2 por cento no mês passado uma vez que os norte-americanos compraram automóveis, móveis, eletrônicos e aparelhos domésticos, informou o Departamento do Comércio em relatório separado.

Mas a força das vendas de automóveis parece estar tirando poder de compra de outras áreas, visto que as compras de vestuário, materiais de construção e artigos esportivos caíram.

Ainda assim, as vendas no varejo, que representam cerca de 30 por cento dos gastos do consumidor, subiram pelo quinto mês consecutivo.   Continuação...