Summers cancela eventos do Citi, antes de decisão sobre chefe do Fed

sábado, 14 de setembro de 2013 18:24 BRT
 

Por P.J. Huffstutter

CHICAGO, 14 Set (Reuters) - O ex-secretário do Tesouro dos Estados Unidos Lawrence Summers tem ficado fora de palestras e outros eventos envolvendo o Citigroup, enquanto o presidente Barack Obama considera a possibilidade de nomear o economista de Harvard como o próximo presidente da Reserva Federal, disse o banco em comunicado.

"Mr. Summers se retirou de todos os eventos do Citi, enquanto é considerado para ser presidente da Reserva Federal", disse Danielle Romero-Apsilos, uma porta-voz do terceiro maior credor dos EUA, em comunicado enviado por email à Reuters neste sábado.

Summers, ex- assessor econômico de Obama, daria uma palestra sobre os desafios econômicos globais num seminário de pesquisa do Citigroup no próximo mês, segundo um relatório da Bloomberg.

Enquanto Summers é amplamente apontado como preferido de Obama para substituir o presidente do Fed Ben Bernanke, cujo mandato termina em janeiro, um debate público incomum irrompeu sobre essa possibilidade nos últimos meses.

A Casa Branca disse nesta sexta-feira que o presidente ainda não havia se decidido sobre quem deve liderar o Fed, decisão que, tradicionalmente, tem gerado pouco interesse for a de Wall Street e dos acadêmicos.

Mas desde Summers surgiu como um candidato principal para o trabalho, seu histórico de consultor para grandes instituições financeiras, incluindo Citi, tem alimentado o debate entre os críticos e legisladores sobre a sua aptidão para o trabalho Fed.

Summers tem sido elogiado como economista brilhante e um político astuto. Mas o seu trabalho com bancos tem críticos afirmando que seu relacionamento com Wall Street é demais para manter a independência no Fed.

O banco central tem um papel fundamental na orientação da maior economia do mundo e assumiu novas responsabilidades após a pior crise financeira dos EUA desde a Grande Depressão.

Summers, que também foi pago para escrever uma coluna para a Reuters, era conselheiro econômico de Obama em sua campanha de 2008, bem como durante o seu primeiro mandato. Após o título do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, ele deixou o governo em 2010 para seguir na carreira no setor privado.

Alguns democratas não gostam de Summers, secretário do Tesouro no governo de Bill Clinton, porque ele apoiou a desregulamentação bancária na década de 1990, que eles acreditam que plantou as sementes para a crise financeira de 2007-09.