Altas salariais na zona do euro desaceleram, inflação permanece baixa

segunda-feira, 16 de setembro de 2013 07:12 BRT
 

BRUXELAS, 16 Set (Reuters) - Os custos trabalhistas na zona do euro subiram no ritmo mais lento em quatro anos no segundo trimestre, em um sinal de que as economias endividadas do bloco estão se tornando mais competitivas, enquanto a inflação em agosto permaneceu baixa.

Os custos trabalhistas nominais por hora nos 17 países que usam o euro cresceu 0,9 por cento no período entre abril e junho, após aumento de 1,7 por cento no primeiro trimestre, informou nesta segunda-feira a agência de estatísticas da UE, Eurostat.

A Eurostat também informou que os preços ao consumidor na zona do euro avançaram 0,1 por cento no mês em agosto, após queda de 0,5 por cento em julho. A inflação anual ao consumidor desacelerou para 1,3 por cento, ante 1,6 por cento em julho.

A inflação permanece bem abaixo da meta do Banco Central Europeu (BCE) de perto mas abaixo de 2 por cento, sustentando a promessa do banco de manter as taxas de juros nos níveis atuais ou mais baixos por um período prolongado de tempo para ajudar na recuperação.

(Reportagem de Martin Santa)