Kravis, da KKR, vê portas se abrindo para acordos no Japão

segunda-feira, 16 de setembro de 2013 09:03 BRT
 

Por Stephen Aldred

HONG KONG, 16 Set (Reuters) - Henry Kravis, co-fundador da empresa de private equity KKR, disse que vê crescentes oportunidades para negócios no Japão conforme as empresas do país se abrem para parcerias estrangeiras em resposta à competição da Coréia do Sul e China.

"Vocês verão cada vez mais investimentos estrangeiros onde a visão será de que precisamos colocar este capital fora do Japão e construir parcerias para expandir os negócios", disse Kravis, 69, a repórteres em Hong Kong em sua primeira coletiva na Ásia este ano.

O diretor regional da KKR, Joseph Bae, enumerou as vendas de ativos não essenciais por corporações gigantes, fusões e aquisições internacionais, investimento em saúde e vendas e uma potencial reforma no setor energético como os temas principais para a empresa no Japão.

Resistência a compradores estrangeiros, porém, permanece como um obstáculo para private equity no Japão. Ano passado, por exemplo, a KKR perdeu em uma negociação para comprar a fabricante de chips Renesas Electronics quando o fundo estatal INCJ (Innovation Network Corp of Japan) surgiu no último momento.

Acordos de fusão e aquisição financiados por private equity caíram 32 por cento na Ásia este ano para 15,8 bilhões de dólares comparado com o mesmo período do ano passado, de acordo com dados da Thomson Reuters, uma queda atribuída em parte ao arrefecimento da economia da China.

Mas esse arrefecimento, e efeitos similares em economias por toda a Ásia, também apresentam oportunidades de investimento.

"Se a rupia continuar a cair vai chegar em um nível em algum momento que será muito atrativo para investidores estrangeiros, particularmente para investidores usando dólares," disse Kravis.