Governo fará "reavaliação grande" de concessões de rodovias, diz Dilma

terça-feira, 17 de setembro de 2013 10:50 BRT
 

17 Set (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira que o governo federal está fazendo uma "reavaliação grande" das concessões de rodovias e poderá assumir as obras quando necessário, após o leilão pela concessão da rodovia BR-262 (ES/MG) ter ficado sem nenhum interessado.

Dilma disse, em entrevista a rádios do Rio Grande do Sul, que o governo fará uma avaliação específica para cada estrada a ser oferecida em leilão, em vista de buscar um equilíbrio entre a tarifa adequada de pedágio a ser cobrada e a Taxa Interna de Retorno (TIR).

"Nós estamos fazendo uma reavaliação grande das concessões. Sabe por quê? Porque as concessões têm duas reivindicação, que são às vezes contraditórias e que não fecham. De um lado se exige uma TIR muito elevada. Do outro lado se exige uma tarifa, um pedágio, muito baixo. Então, o que é que acontece? Acontece que a equação não fecha nunca", disse Dilma.

"Nós queremos fazer concessão com uma TIR adequada e uma tarifa adequada. Então para cada estrada nós vamos fazer uma avaliação específica", acrescentou a presidente, que citou as BRs 116, 386, 471, e 285, entre outras.

O leilão de concessões de infraestrutura logística é a grande aposta do governo para acelerar a economia, que tem crescido abaixo das expectativas. No entanto, a BR-262, que seria leiloada juntamente com a BR-050 (GO/MG) na próxima quarta-feira, não recebeu nenhuma proposta. Para a BR-050 oito candidatos se inscreveram.

O ministro dos Transportes, César Borges, informou na segunda-feira que o governo federal vai passar a fazer as licitações de trechos individualmente devido ao fracasso no leilão da BR-262.

Na entrevista, a presidente afirmou que uma concessão de rodovia sem pagar pedágio "é conto de fadas", mas ressaltou que os empresários também não podem buscar uma "concessão baixinha e uma remuneração da concessão elevadíssima".

Dilma disse ainda que nos casos em que não for possível se chegar a um equilíbrio entre a remuneração aos empresários e a tarifa de pedágio, o governo vai assumir as obras das rodovias.

"Quando for prático, concreto e efetivo unir as duas coisas, nós vamos unir. Quando não der para unir as duas coisas, nós vamos fazer obra pública."   Continuação...

 
Presidente Dilma Rousseff fotografada durante cerimônia na qual sancionou a lei que destina os royalties do petróleo para a educação e saúde, no Palácio do Planalto, em Brasília. Dilma afirmou nesta terça-feira que o governo federal está fazendo uma "reavaliação grande" das concessões de rodovias e poderá assumir as obras quando necessário, após o leilão pela concessão da rodovia BR-262 (ES/MG) ter ficado sem nenhum interessado. 9/09/2013. REUTERS/Celso Junior