REEDIÇÃO-Dezoito empresas adquiriram pacote de dados para leilão de Libra

terça-feira, 17 de setembro de 2013 15:57 BRT
 

(Esclarece que 18 empresas pagaram taxa para ter acesso a pacote de dados, e não para participar do leilão)

RIO DE JANEIRO/BRASÍLIA , 17 Set (Reuters) - Dezoito empresas pagaram taxas para acessar dados da reserva de Libra, que será licitada no primeiro leilão do pré-sal, em 21 de outubro, afirmou nesta terça-feira a diretora-geral da agência reguladora do setor de petróleo, Magda Chambriand, durante audiência pública no Senado.

E pelo menos 10 empresas já pagaram as taxas de participação no leilão do pré-sal, afirmou mais cedo uma autoridade da agência reguladora do setor de petróleo, que espera ainda mais adesões.

O evento da ANP no Rio serve para detalhar a potenciais empresas interessadas os aspectos técnicos, jurídicos e ambientais da licitação.

Muitas empresas costumam aguardar as explicações sobre as regras dos leilões para depois decidirem pelo pagamento da taxa de adesão, lembrou a superintendente de Promoção de Licitações da ANP, Claudia Rabello.

Segundo ela, o agendamento do seminário técnico um dia antes do prazo final foi uma exceção. Ela acredita que outras empresas façam o pagamento das taxas do leilão nas próximas horas.

"É natural que as empresas aguardem esse evento. Percebemos que nos últimos leilões várias empresas só fizeram esse pagamento após o seminário técnico da agência, e nos leilões passados houve um prazo maior", disse Claudia.

A taxa de adesão, que inclui o recebimento de um pacote de dados, é de pouco mais de 2 milhões de reais, um valor relativamente pequeno para a indústria do petróleo, onde operações e investimentos giram na casa das centenas de milhões ou até dos bilhões de reais.   Continuação...

 
Foto de arquivo da diretora-geral da ANP, Magda Chambriard, durante coletiva de imprensa no Rio de Janeiro. Pelo menos 18 empresas pagaram as taxas de participação para o primeiro leilão do pré-sal, que será realizado em 21 de outubro, afirmou Magda nesta terça-feira durante audiência pública no Senado. 23/05/2013 REUTERS/Ricardo Moraes