Alemães não confiam em Bruxelas, querem que Grã-Bretanha fique na UE--pesquisa

terça-feira, 17 de setembro de 2013 12:40 BRT
 

Por Gareth Jones

BERLIM, 17 Set (Reuters) - A maioria dos alemães não confia nas instituições da União Europeia (UE) e um em cada dois querem que Bruxelas transfira mais poderes para os países membros da UE, de acordo com pesquisa nesta terça-feira que confirmou a mudança para um ceticismo em relação à Europa na maior economia europeia.

A pesquisa YouGov Deutschland também mostrou que a maioria dos alemães acredita que uma saída britânica da União Europeia seria ruim para a Alemanha e para UE, e que o próximo governo alemão, depois da eleição de domingo, deve trabalhar ativamente para manter a Grã-Bretanha dentro do bloco de 28 países.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, que prometeu realizar referendo sobre a permanência da Grã-Bretanha na União Europeia até 2017, é o líder estrangeiro da UE que goza de mais confiança entre os alemães, mostrou a pesquisa, quatro pontos na frente do presidente francês, François Hollande.

Menos de 1 em cada três alemães confiam na Comissão Europeia, o braço executivo da UE, enquanto o Parlamento Europeu conseguiu um desempenho apenas um pouco melhor, informou a pesquisa, que entrevistou 1.010 adultos entre 21 de agosto e 26 de agosto.

A instituição de maior confiança foi o Tribunal Constitucional da Alemanha, que tem lidado com as preocupações dos contribuintes nas implicações financeiras e legais dos resgates da zona do euro ao insistir no direito do Parlamento de Berlim de ser consultado plenamente.

Metade dos participantes disseram que apoiam os esforços de alguns políticos da UE, incluindo Cameron, de repatriar os poderes que são de âmbito europeu, enquanto 26 por cento foram contra.