CME Group pede aval para atuar em novas operações de swaps

quarta-feira, 18 de setembro de 2013 16:54 BRT
 

18 Set (Reuters) - A CME Group, maior operadora do mercado de futuros dos Estados Unidos, pediu aval da Commodity Futures Trading Commission para se tornar operadora de execução de swaps (SEF, na sigla em inglês), plataforma de negociações criada como resultado da quebra global no setor de derivativos, que colaborou para resultar na crise de crédito de 2007-0.

Reguladores nos principais mercados financeiros ao redor do mundo estão reescrevendo as regras sobre swaps, mercado de balcão de títulos que derivam o seu valor de taxas de juros, crédito, câmbio, ações e commodities -- um mercado estimado em 630 trilhões de dólares.

Bancos de Wall Street negociam swaps em operações privadas, principalmente por telefone, através de corretoras: como ICAP, da Grã-Bretanha, mas os reguladores querem lançar mais luz nesse lucrativo mercado.

As novas regras, que fazem parte da lei Dodd-Frank 2010 dos EUA, destinada a rever o funcionamento Wall Street após a crise financeira, vai colocar um fim à negociação privada de swaps.

A CME, baseada em Chicago, disse que seu SEF estará disponível através da sua plataforma CME Direct, que fornece acesso a futuros de câmbio e mercados de balcão de energia e metais.

(Reportagem de John McCrank em Nova York)