ENTREVISTA-Para ANP, leilão de Libra poderá ter mais de 3 consórcios

sexta-feira, 20 de setembro de 2013 17:36 BRT
 

Por Sabrina Lorenzi

RIO DE JANEIRO, 20 Set (Reuters) - O leilão da reserva de petróleo de Libra poderá contar com mais de três consórcios concorrentes, sinalizou nesta sexta-feira a diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard.

Apenas 11 empresas, a maioria asiáticas, pagaram a taxa de participação no leilão de Libra, área considerada a maior reserva de petróleo já descoberta no pré-sal brasileiro, com entre 8 bilhões e 12 bilhões de barris.

Se todas as 11 empresas forem habilitadas e participarem de fato do leilão, pelo menos três consórcios serão formados, pois as regras limitam a cinco o número de participantes de cada consórcio concorrente.

Questionada pela Reuters se mais de três consórcios poderiam disputar a área no pré-sal da Bacia de Santos, na licitação marcada para 21 de outubro, a diretora-geral da ANP disse que sim.

"Pelo tamanho delas, acho possível até que possamos ver consórcio de poucas ou de apenas uma empresa neste leilão", afirmou Magda. "Esse sim é o grande segredo do negócio, como serão formados os consórcios", acrescentou, por telefone.

Para ela, Libra receberá ofertas elevadas apesar da ausência de petroleiras norte-americanas e britânicas na licitação. "O fato de termos sete das 11 empresas do setor de maior valor agregado do mundo nos leva a pensar que haverá disputa... Não posso achar que não será disputado."

"Essas empresas (que pagaram a taxa) são tão grandes, tão capitalizadas... absolutamente capazes de fazer ofertas", insistiu.

As declarações foram feitas um dia após a própria diretora-geral da ANP ter revelado que petroleiras como Exxon Mobil e BG não pagaram a taxa de participação para a primeira rodada do pré-sal.   Continuação...

 
A diretora da ANP, Magda Chambriard, fala em coletiva de imprensa no Rio de Janeiro. O leilão da reserva de petróleo de Libra poderá contar com mais de três consórcios concorrentes, sinalizou nesta sexta-feira a diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard. 23/05/2013 REUTERS/Ricardo Moraes