Lobão diz que leilão de Libra terá sucesso com grandes do setor

sexta-feira, 20 de setembro de 2013 19:12 BRT
 

BRASÍLIA, 20 Set (Reuters) - A participação de grandes empresas do setor de petróleo no leilão de Libra indica que a licitação de outubro terá sucesso, e o governo está plenamente convencido disso, disse nesta sexta-feira ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, a jornalistas.

A conferência de imprensa foi convocada após o anúncio, na véspera, de que 11 empresas pagaram a taxa para participar do leilão, ou cerca de um quarto das companhias esperadas inicialmente para o certame pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Ficaram de fora do leilão companhias como a norte-americana Exxon Mobil, a maior empresa listada do mundo, e outras gigantes do setor, como as britânicas BP e BG, segundo lista anunciada pela ANP, que mostrou predominância de empresas asiáticas, sedentas para assegurar reservas para o futuro.

"A ausência de algumas grandes petroleiras gerou interpretações equivocadas... O governo está plenamente convencido do sucesso que ocorrerá no leilão", afirmou Lobão.

A reserva de Libra a considerada a maior já descoberta no pré-sal brasileiro pela ANP, com volumes recuperáveis variando entre 8 bilhões e 12 bilhões de barris.

Apesar de uma participação menor que a esperada, a ANP ressaltou em nota na quinta-feira que, entre as empresas que se inscreveram para o leilão, sete estão entre as 11 com maior valor de mercado no mundo: China National Corporation (CNPC) (2a), Shell (3a), Ecopetrol (6a), Petrobras (7a), Total (8a), China National Offshore Oil Corporation (CNOOC) (10a), Repsol/Sinopec (Sinopec - 11a).

"Se apenas houvesse um consórcio no dia 21 de outubro, isso não mudaria nada... Se for só um consórcio, está dentro das regras também, mas nós esperamos que haverá mais, dois ou três consórcios", afirmou.

Pelas regras do novo modelo de partilha, ganha a licitação o consórcio que ofertar a maior parcela de petróleo à União ao longo do contrato de 35 anos. Além disso, o consórcio vencedor terá que pagar imediatamente 15 bilhões de reais ao governo, pelo chamado bônus de assinatura.

O governo estabeleceu ainda um lance inicial em "óleo lucro" do 41,65 por cento do petróleo produzido.   Continuação...

 
O ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, participa de coletiva de imprensa em Brasília. A participação de grandes empresas do setor de petróleo no leilão de Libra indica que a licitação de outubro terá sucesso, e o governo está plenamente convencido disso, disse Lobão a jornalistas. 23/04/2013 REUTERS/Ueslei Marcelino