Decisão do Fed não muda política monetária e programa cambial do BC--Tombini

segunda-feira, 23 de setembro de 2013 13:42 BRT
 

SÃO PAULO, 23 Set (Reuters) - A decisão do Federal Reserve de manter o ritmo de compras de títulos para estimular a economia norte-americana, que surpreendeu o mercado na semana passada, não muda a política monetária e o programa de câmbio brasileiros, afirmou nesta segunda-feira o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.

Depois de uma escalada do dólar ante o real desde maio, o BC brasileiro anunciou em 22 de agosto um programa regular de oferta de dólares até o fim do ano, num montante total de 60 bilhões de dólares, para reduzir a volatilidade do câmbio e oferecer proteção a empresas.

Na semana passada, depois que o Fed manteve o ritmo do estímulo, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o BC brasileiro poderia diminuir a intervenção no câmbio --o que foi negado por Tombini nesta segunda.

"Da nossa perspectiva, o programa (de câmbio) é adequado, está funcionando bem. Então não há notícias do nosso lado sobre esse assunto", disse Tombini em teleconferência com a imprensa estrangeira, quando questionado sobre a possibilidade de diminuir a oferta diária de dólares pelo BC brasileiro.

Ele também afirmou que a recente decisão do Fed de continuar a injetar 85 bilhões de dólares mensalmente na economia dos EUA não muda a política monetária brasileira. O BC iniciou em abril deste ano um ciclo de alta do juro básico para controlar a inflação, elevando a taxa Selic da mínima histórica de 7,25 por cento, para 9 por cento ao ano.

O mercado espera nova elevação do juro em 0,50 ponto na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC em outubro. Há dúvidas, no entanto, sobre o ritmo de aperto monetário depois disso.

Sobre as ações do Fed, Tombini disse ser construtivo o processo de redução gradual dos estímulos nos EUA, afirmando que quanto mais gradual a mudança, melhor para os emergentes.

Para ele, o mundo já está em "transição de políticas muito acomodativas e não-convencionais para um mundo de condições monetárias e financeiras normais". "O 'timing' para isso é incerto neste momento, mas eu diria que já estamos no processo de transição", afirmou.

ECONOMIA   Continuação...

 
Presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, fotografado durante audiência do Comitê de Assuntos Econômicos do Senado, em Brasília. O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou nesta segunda-feira não ver alterações no rumo da política monetária brasileira diante da decisão do Federal Reserve de manter o ritmo do programa de compra de ativos. 11/12/2012. REUTERS/Ueslei Marcelino