Investidores temem atraso em reestruturação de dívida da OGX

segunda-feira, 23 de setembro de 2013 12:50 BRT
 

LONDRES, 23 Set (Reuters) - Investidores temem que a mudança na diretoria financeira da OGX possa atrasar a reestruturação da dívida da empresa, que chega a 3,6 bilhões de dólares em bônus no exterior, informou nesta segunda-feira o IFR, serviço da Thomson Reuters.

A petroleira do grupo EBX, de Eike Batista, anunciou nesta segunda-feira Paulo Narcélio Amaral como substituto de Roberto Bernardes Monteiro, que foi demitido no fim da semana passada.

A OGX vem tendo reuniões com credores há duas semanas, pedindo uma injeção de recursos de 250 milhões a 500 milhões de dólares, segundo investidores. A negociação ocorre num momento em que a empresa planeja converter os 3,6 bilhões de dólares de dívida em ações.

"Isso certamente irá atrasar a reestruturação, já que Monteiro estava no centro das negociações e que agora haverá mais ruído com uma nova pessoa lá", disse um investidor do mercado de dívida em Nova York, que anteriormente investiu em OGX. "Parece uma manobra."

No início de setembro, a OGX anunciou que sua diretoria decidiu exercer o direto a uma "put" contra o acionista majoritário Eike Batista, por meio da qual ele é obrigado a injetar até 1 bilhão de dólares na empresa com a aquisição de novas ações. Logo depois, o empresário enviou uma carta à empresa, contestando a validade da operação e abrindo a possibilidade de o assunto ser decidido em uma câmara arbitral.

"Tem havido um movimento caótico após o outro envolvendo Eike e a diretoria, e isso não dá aos credores muita esperança em termos de recuperação de valor", disse o investidor.

Os títulos da OGX com vencimento em 2018 e 2022 tinham queda de um ponto nesta manhã, com os de 2018 sendo negociados ao redor de 18,50 por cento do valor de face e os para 2022 a 19,75 do valor de face.

(Reportagem de Joan Magee)