Na contramão de Wall St, Bovespa sobe quase 1% por dados da China e bancos

segunda-feira, 23 de setembro de 2013 17:59 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO, 23 Set (Reuters) - A Bovespa fechou esta segunda-feira no azul, impulsionada por ações do setor financeiro, de siderúrgicas e da mineradora Vale, após a divulgação de dados melhores que o esperado sobre a indústria da China.

O Ibovespa subiu 0,91 por cento, a 54.602 pontos, na contramão das bolsas norte-americanas. O giro financeiro do pregão, de 5,16 bilhões de reais, foi reduzido.

Ações da mineradora Vale e de siderúrgicas responderam favoravelmente ao resultado do Índice de Gerentes de Compras(PMI) preliminar do HSBC, que apontou que o setor industrial da China cresceu no ritmo mais rápido em seis meses em setembro.

"O dado mostra que houve uma melhora (da economia chinesa) no curto prazo, o que traz um otimismo um pouco maior para países emergentes. Se você olhar lá fora, vê que Estados Unidos e Europa estão menos influenciados", afirmou o economista da Saga Capital Gustavo Mendonça.

O resultado fez com que a Bovespa andasse na contramão das bolsas norte-americanas, afetadas pela apreensão do mercado quanto ao futuro da política de estímulos do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos.

Nesta segunda, o presidente do Fed de Nova York, William Dudley, disse que o banco central dos EUA ainda pretende reduzir o ritmo de suas compras de ativos neste ano e encerrar o programa de "quantitative easing" até meados de 2014.

"As declarações não mudaram o posicionamento do mercado, que espera um corte de estímulos para a próxima reunião da instituição", afirmou o analista sênior do BB Investimentos Hamilton Alves.

Por aqui, as ações da petroleira OGX e papéis do setor financeiro, como Banco do Brasil e Santander Brasil, também ajudaram a levantar o Ibovespa.   Continuação...