23 de Setembro de 2013 / às 21:00 / em 4 anos

Na contramão de Wall St, Bovespa sobe quase 1% por dados da China e bancos

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO, 23 Set (Reuters) - A Bovespa fechou esta segunda-feira no azul, impulsionada por ações do setor financeiro, de siderúrgicas e da mineradora Vale, após a divulgação de dados melhores que o esperado sobre a indústria da China.

O Ibovespa subiu 0,91 por cento, a 54.602 pontos, na contramão das bolsas norte-americanas. O giro financeiro do pregão, de 5,16 bilhões de reais, foi reduzido.

Ações da mineradora Vale e de siderúrgicas responderam favoravelmente ao resultado do Índice de Gerentes de Compras(PMI) preliminar do HSBC, que apontou que o setor industrial da China cresceu no ritmo mais rápido em seis meses em setembro.

“O dado mostra que houve uma melhora (da economia chinesa) no curto prazo, o que traz um otimismo um pouco maior para países emergentes. Se você olhar lá fora, vê que Estados Unidos e Europa estão menos influenciados”, afirmou o economista da Saga Capital Gustavo Mendonça.

O resultado fez com que a Bovespa andasse na contramão das bolsas norte-americanas, afetadas pela apreensão do mercado quanto ao futuro da política de estímulos do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos.

Nesta segunda, o presidente do Fed de Nova York, William Dudley, disse que o banco central dos EUA ainda pretende reduzir o ritmo de suas compras de ativos neste ano e encerrar o programa de “quantitative easing” até meados de 2014.

“As declarações não mudaram o posicionamento do mercado, que espera um corte de estímulos para a próxima reunião da instituição”, afirmou o analista sênior do BB Investimentos Hamilton Alves.

Por aqui, as ações da petroleira OGX e papéis do setor financeiro, como Banco do Brasil e Santander Brasil, também ajudaram a levantar o Ibovespa.

Analistas do Credit Suisse recomendaram aumento da exposição a ações do setor bancário do Brasil, com expectativa de que instituições financeiras do país estejam embarcando em um ciclo duradouro de crescimento de dois dígitos no lucro.

Outro destaque de alta foi a ação da operadora de telefonia TIM Participações. Nesta segunda, uma fonte afirmou à Reuters que as conversas entre a Telefónica e os acionistas italianos da Telecom Italia, dona da operadora de telefonia brasileira, reunidos na Telco estão em fase final.

Segundo o analista Alex Pardellas, da CGD Securities, a alta das ações da TIM foi motivada pela expectativa de que uma possível mudança no controle da Telecom Italia acione o mecanismo de tag along, que garante que o comprador das ações dos controladores realize oferta pública aos minoritários.

Em sentido contrário, Marfrig teve a maior queda percentual do índice, após a coluna Radar, da Revista Veja, afirmar que a empresa planeja vender ativos brasileiros para o frigorífico Minerva e para a BRF. Em nota, a empresa negou que esteja envolvida em tais negociações.

Reportagem adicional de Luciana Bruno

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below