Zona do euro ainda é um risco e não irá crescer neste ano--OCDE

terça-feira, 24 de setembro de 2013 09:48 BRT
 

LISBOA, 24 Set (Reuters) - A zona do euro ainda é uma fonte considerável de risco à economia mundial e precisa fazer mais para colocar seu sistema bancário em uma base saudável, disse nesta terça-feira o economista-chefe da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Pier Carlo Padoan.

Padoan disse em conferência em Portugal que a zona do euro irá contrair novamente neste ano e que a economia mundial em geral está saindo da recessão lentamente, e que está longe de um crescimento sustentável.

"Na zona do euro, muitos bancos permanecem fracamente capitalizados", disse ele. "Achamos que muito mais tem que ser feito para levar o sistema bancário a uma condição saudável, sem o que as reformas estruturais não irão garantir o suficiente. Precisamos que todas as políticas sejam ativadas".

Autoridades da União Europeia disseram que a Alemanha está trabalhando em um plano que irá fazer a união bancária avançar sem mudar a legislação existente da UE, potencialmente removendo um grande obstáculo à conclusão do ambicioso projeto.

Padoan disse que enquanto perseguem a consolidação estrutural em 2014, os países da zona do euro devem permitir que os estabilizadores automáticos da economia -- termo utilizados por economistas para os itens do orçamento como gastos sociais e cortes de impostos que aliviam as flutuações no crescimento econômico-- trabalhem, à medida que os países focam no combate às altas taxas de desemprego.

Mas apesar dos alertas de lenta recuperação e riscos, ele disse que o risco sistêmico e as chances de fragmentação no bloco de moeda única estão diminuindo e que o crescimento deve retornar para muitos países, incluindo Portugal, no próximo ano.

"Não há dúvida de que a economia portuguesa está melhorando", disse Padoan a repórteres.

(Reportagem de Daniel Alvarenga e Sérgio Gonçalves)