24 de Setembro de 2013 / às 18:19 / 4 anos atrás

Brasil tem maior déficit em transações correntes para meses de agosto

Por Luciana Otoni

BRASÍLIA, 24 Set (Reuters) - O Brasil registrou déficit em conta corrente de 5,505 bilhões de dólares no mês passado, o pior resultado para meses de agosto, elevando o déficit no acumulado de 12 meses a 3,6 por cento do PIB.

A deterioração das contas externas brasileiras fica mais evidente com o fato de o rombo no mês passado não ter sido financiado pela entrada de recursos pela conta de capital e financeira, que foi superavitária em 2,119 bilhões de dólares. Com isso, o Brasil teve déficit no balanço de pagamentos de 3,21 bilhões de dólares em agosto, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira pelo Banco Central.

Os investimentos estrangeiros diretos, que fazem parte da conta de capital, somaram 3,775 bilhões de dólares no mês passado, ante 5 bilhões de dólares em agosto de 2012.

No acumulado do ano, as transações correntes registram déficit de 57,952 bilhões de dólares, superior ao saldo negativo de 54,230 bilhões de dólares em todo o ano passado.

Em 12 meses, o rombo chega a 80,642 bilhões de dólares, 3,65 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), pior resultado desde março de 2002. Em julho, essa relação estava em 3,5 por cento.

Apesar do desempenho ruim das contas externas, o BC minimizou os dados. "A parte do déficit em transações correntes que segue financiada pelo IED é muito significativa. Cerca de 80 por cento tende a ser financiado pelo IED e esse é um quadro positivo e confortável para as transações correntes", comentou o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel.

A conta corrente -- que incluem a importação e exportação de bens e serviços e as transações unilaterais-- tem sido fortemente impactada pelo resultado da balança comercial brasileira, que tem apresentado repetidos déficits.

Tanto que o BC reduziu a projeção da balança para o ano, para superávit de 2 bilhões de dólares ante a previsão anterior de saldo positivo de 7 bilhões de dólares.

PROJEÇÕES

Na segunda revisão no ano das projeções para as contas externas do país em 2013, o BC manteve em 75 bilhões de dólares a previsão de déficit para as transações correntes.

Além da balança comercial, a estimativa para IED também foi reduzida para 60 bilhões de dólares ante 65 bilhões de dólares de entrada na projeção anterior.

Maciel disse que a redução no IED foi feita a partir do ingresso visto até o momento, comentando ainda que mesmo com a redução dos fluxos o Brasil continua atraindo capital produtivo externo em cifras maiores comparativamente a outros países.

Para contrabalançar essas pioras, o BC reduziu para 24 bilhões de dólares a estimativa de remessa de lucros e dividendos ante a indicação anterior de 30 bilhões de dólares de envios, numa alteração relacionada em parte à valorização da divisa norte-americana.

A redução na estimativa de lucros e dividendos deve-se às fortes oscilações do dólar neste ano. "A movimentação de câmbio torna o envio de remessa mais caro e um desestímulo ao reenvio de dividendos", comentou Maciel.

Apesar disso, a alta do dólar não inibiu os gastos de brasileiro no exterior. A despesa líquida no exterior com viagens ficou em 1,710 bilhão de dólares em agosto, ante 1,674 bilhão de dólares em julho e 1,381 bilhão de dólares em igual mês de 2012.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below