Banco Mundial reduz perspectiva para Rússia e vê barreiras estruturais

quarta-feira, 25 de setembro de 2013 09:16 BRT
 

MOSCOU, 25 Set (Reuters) - A economia da Rússia está operando perto do potencial total e enfrenta barreiras estruturais, informou o Banco Mundial nesta quarta-feira, reduzindo sua previsão para o crescimento econômico de 2013.

"A economia parece estar próxima de sua capacidade, refreada por atividades de investimento fracas e um mercado de trabalho apertado", informou o banco em seu relatório econômico semestral sobre a Rússia.

O Banco Mundial reduziu a previsão de crescimento para a Rússia em 2013 para 1,8 por cento, ante 2,3 por cento.

A redução sucede as reduções recentes de crescimento pelo governo russo e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), respondendo a uma desaceleração inesperadamente severa nos últimos meses.

O banco disse que a desaceleração é em parte resultado de fatores cíclicos, incluindo a fraca demanda pelas exportações russas causadas pelos preços mais baixos do petróleo e a desaceleração do comércio global, e o crescimento lento do consumo ligado à fraca confiança.

Apesar da desaceleração econômica, a utilização da capacidade está perto de 80 por cento e o mercado de trabalho está apertado, com o desemprego em 5,5 por cento. "Para a Rússia, os desafios estruturais estão se tornando restrições comprometedoras de seu crescimento", disse o relatório.

O Banco Mundial, entretanto, prevê que a Rússia terá uma recuperação no próximo ano, estimando crescimento de 3,1 por cento, mas com riscos ligados à situação da economia mundial.