Baosteel diz que China atingirá pico de consumo de aço em 2018

quarta-feira, 25 de setembro de 2013 11:02 BRT
 

QINGDAO, China, 25 Set (Reuters) - O consumo anual de aço pela China deve atingir um pico de 825 milhões de toneladas em 2018, afirmou o grupo siderúrgico Baosteel nesta quarta-feira.

Representantes da indústria chinesa têm repetidamente afirmado que a demanda doméstica está desacelerando e que o excesso de oferta de minério de ferro levará a uma queda nos preços nos próximos anos.

Dai Zhihao, gerente geral da companhia, fez o comentário durante uma conferência anual do setor na cidade costeira de Qingdao.

A Baosteel previu mais cedo neste ano que o consumo de aço ficaria em 698 milhões de toneladas em 2013.

Wang Xiaoqi, vire-presidente da Associação de Ferro e Aço da China (Cisa), afirmou durante o mesmo evento que espera que a produção anual de minério de ferro das principais mineradoras globais cresça em 470 milhões de toneladas entre 2013 e 2015 e que os preços da commodity começarão a cair a partir de 2014.

Até o final de 2013, as três gigantes da mineração mundial BHP Billiton, Rio Tinto e Vale, junto com a australiana Fortescue Metals Group, podem já estar produzindo quase 1 bilhão de toneladas de minério de ferro, segundo cálculos da Reuters.

Zhong Ziran, engenheiro-chefe do Ministério de Terras e Recursos da China, afirmou durante uma conferência neste ano que o consumo doméstico de aço deve atingir um pico antes de 2015 e se manter estável na década seguinte. A demanda anual por minério de ferro, segundo ele, deve se estabilizar em cerca de 900 milhões a 1 bilhão de toneladas.

Dai, da Baosteel, afirmou que a indústria siderúrgica ainda tem que resolver o problema de definição de preços de minério de ferro, afirmando que o setor está dependendo de um pequeno número de empresas e transações para determinar índices de preços da commodity.

(Por Ruby Lian e David Stanway)