Mantega: recursos de estrangeiros representarão até 50% das concessões

quarta-feira, 25 de setembro de 2013 20:16 BRT
 

NOVA YORK, 25 Set (Reuters) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse em Nova York nesta quarta-feira que entre 30 a 50 por cento dos recursos dos projetos de concessões de infraestrutura deverão ser de investidores estrangeiros.

O governo está promovendo nos Estados Unidos os projetos para tentar atrair mais recursos e mais participantes nos leilões de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos.

Mantega disse que as regras das licitações não serão alteradas e que a rentabilidade dos projetos são mais elevadas do que a oferecida em outros países. Justamente a rentabilidade e as condições de financiamento dos projetos foi bastante modificada com o objetivo de atrair mais investidores.

Mas voltou a dizer que as futuras licitações de rodovias serão reavaliadas para garantir a atratividade, depois de não ter havido nenhum participante no leilão da BR-050.

O ministro reafirmou a possibilidade de rever o fluxo de veículos e aumentar a parcela de obras a serem tocadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

"Vamos fazer uma espécie de PPP (Parceria Público Privada) em que o setor privado tem o suporte do setor público na concessão", disse Mantega a jornalistas em Nova York.

CÂMBIO

O ministro voltou a afirmar que o governo ainda está estudando a retirada de Imposto sobre Operação Financeira (IOF) de financiamentos de infraestrutura. "Estamos olhando a possibilidade de retirar IOF dos financiamentos de infraestrutura, mas ainda não tem nada decidido."

Mantega disse ainda que as cotações do câmbio no Brasil estão passando por um reacomodação em linha com outros países.   Continuação...

 
Ministro da Fazenda, Guido Mantega, fala durante coletiva de imprensa em São Paulo. Mantega disse em Nova York nesta quarta-feira que entre 30 a 50 por cento dos recursos dos projetos de concessões de infraestrutura deverão ser de investidores estrangeiros. 30/08/2013. REUTERS/Nacho Doce