Receita do setor de máquinas recua, setor terá reunião com governo

quarta-feira, 25 de setembro de 2013 20:50 BRT
 

SÃO PAULO, 25 Set (Reuters) - O setor de máquinas e equipamentos sofreu em agosto nova queda no faturamento bruto na comparação anual e representantes da entidade devem se reunir na próxima semana com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, para discutir medidas de apoio à produção nacional.

A indústria teve queda de 2,1 por cento na receita bruta no mês passado, a 7,266 bilhões de reais, informou nesta quarta-feira a associação que representa o setor, Abimaq.

O recuo ocorreu apesar de um crescimento de 8,8 por cento no consumo aparente -- produção nacional mais importações menos exportações - para 10,653 bilhões de reais, largamente puxado por aumento das compras no exterior.

"Temos reunião marcada com o ministro (Fernando) Pimentel sobre uma agenda emergencial. Não dá para esperarmos 2015 para tomarmos medidas para se reindustrializar o setor", disse o diretor-secretário da Abimaq, Carlos Pastoriza, a jornalistas.

Ele evitou detalhar os assuntos que a Abimaq deve tratar com o ministro. Apesar disso, comentou que entre as sugestões da entidade para incentivar o setor, que tem visto a carteira de pedidos encolher desde 2010, está um programa que troca parte de dívidas com o governo federal por investimentos.

Chamado de Refis Investimento, o programa que deve ser analisado pelo governo até o início de 2014, permitiria que empresas que devem ao governo federal acessem financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para modernizarem seus parques fabris, segundo Pastoriza.

"Não seria renúncia fiscal, porque é uma receita que o governo já não estava recebendo mesmo", disse. "A empresa devedora sairia assim de um círculo vicioso e entraria em um virtuoso, porque parte da dívida iria para modernização, melhorando a competitividade", acrescentou.

Segundo ele, se o programa for implantado, o volume de desembolsos do BNDES para a aquisição de máquinas e equipamentos no país poderia pelo menos dobrar ante os 19 bilhões de reais concedidos de janeiro a julho deste ano.

Além do Refis Investimento, outra proposta da Abimaq é a criação de um programa de incentivo à produção nacional de máquinas e equipamentos apoiado em desoneração de impostos sobre o setor. Mas este programa, chamado pela entidade de Inovar-Maq, esbarra na atual situação fiscal do governo, que tem evitado conceder novas desonerações.   Continuação...