Metalúrgicos da Embraer rejeitam oferta de reajuste de 6%

quinta-feira, 26 de setembro de 2013 13:49 BRT
 

SÃO PAULO, 26 Set (Reuters) - Trabalhadores da fábrica da Embraer em São José dos Campos (SP) rejeitaram nesta quinta-feira proposta de reajuste salarial de 6,07 por cento feita pelo setor aeronáutico, informou o sindicato local.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, cerca de 3 mil trabalhadores participaram da assembleia na entrada do primeiro turno da fábrica da Embraer, atrasando o início de produção em uma hora.

Os trabalhadores da Embraer cobram reajuste salarial de 13,5 por cento e redução da jornada para 40 horas semanais. "A proposta patronal de 6,07 por cento equivale apenas à reposição da inflação, com zero de aumento real", informou a entidade.

Segundo os trabalhadores, a jornada de 43 horas na Embraer "é a maior do setor aeronáutico e uma das maiores entre as empresas metalúrgicas da região".

Metalúrgicos de outras companhias na região, incluindo MWL e Emerson estão em greve por tempo indeterminado, segundo o sindicato.

(Por Alberto Alerigi Jr., edição Marcela Ayres)

 
Operários trabalham na linha de montagem da sede da Embraer em São José dos Campos, São Paulo. Trabalhadores da fábrica da Embraer em São José dos Campos (SP) rejeitaram nesta quinta-feira proposta de reajuste salarial de 6,07 por cento feita pelo setor aeronáutico, informou o sindicato local. 14/05/2013. REUTERS/Nacho Doce