BC revê reduz estimativa para concessão de crédito de bancos privados

sexta-feira, 27 de setembro de 2013 17:12 BRT
 

BRASÍLIA, 27 Set (Reuters) - O Banco Central reduziu sua previsão para a concessão de crédito dos bancos privados este ano apesar da queda da inadimplência, mas elevou as projeções para os desembolsos dos bancos estatais, mesmo diante do aumento das taxas de juros e incertezas econômicas.

O BC estima que as instituições privadas irão fechar o ano com aumento de 6 por cento da concessão de crédito, ante previsão anterior de alta de 10 por cento no ano, informou nesta sexta-feira o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel.

Já a expectativa de concessão de crédito por bancos estatais subiu para 24 por cento, ante previsão de junho de expansão de 22 por cento no ano. Com isso, a previsão para o aumento de crédito total este ano foi mantida em 15 por cento.

Os bancos estatais tem sido agressivos na concessão de crédito, seguindo a política do governo de impulsionar o consumo e os investimentos no país por meio do crédito.

"O crédito vem mostrando moderação ano a ano", avaliou Maciel, acrescentando que apesar disso os empréstimos e financiamentos se mantêm como instrumentos importantes da expansão da atividade econômica. Em 2012, a expansão do crédito foi de 16,5 por cento.

O BC estima que o saldo das operações totais de crédito fechará o ano em 57 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), ante 56 por cento na estimativa anterior.

Em agosto, o saldo total de crédito com recursos livres e direcionados cresceu 1,3 por cento em relação a julho e 16,1 por cento ante agosto do ano passado, chegando 55,5 por cento do PIB, ou 2,578 trilhões de reais.

"As operações de crédito do sistema financeiro apresentaram, em agosto, expansão mais acentuada que no mês anterior, assinalando desempenho mais expressivo nos empréstimos com recursos direcionados, em linha com o dinamismo na demanda por financiamentos imobiliários, rurais e para investimentos com recursos do BNDES", disse o BC em nota.

Esse aumento do estoque total de crédito ocorreu apesar do aumento da taxa de juros. A taxa média de juros no segmento de recursos livres subiu para 28,0 por cento ao ano em agosto, ante 27,5 por cento em julho. No crédito total (incluindo o crédito com recursos direcionados), os juros ficaram em 19,3 por cento ao ano no mês passado, ante 19,1 por cento apurados em julho.   Continuação...