Governo central tem superávit de R$ 87 mi em agosto--Tesouro

sexta-feira, 27 de setembro de 2013 18:28 BRT
 

BRASÍLIA, 27 Set (Reuters) - O governo central --formado pelo governo federal, Banco Central e Previdência Social-- registrou superávit primário de 87 milhões de reais no mês passado, no pior resultado para meses de agosto da série iniciada em 1997, informou o Tesouro Nacional nesta sexta-feira.

O resultado, influenciado pelo elevado déficit de 5,733 bilhões de reais na Previdência Social, só não foi deficitário porque o governo antecipou 4,8 bilhões de reais em dividendos de bancos estatais para fechar a conta do mês no balanço positivo.

Em agosto, a receita líquida totalizou 73,271 bilhões de reais enquanto a despesa ficou em 73,184 bilhões de reais.

Nos oito primeiros meses do ano, a economia feita para o pagamento de juros da dívida pública acumula saldo positivo de 38,474 bilhões de reais.

Em outro dado ruim, o investimento público acumulado até agosto atingiu 42,1 bilhões de reais com queda de 0,8 por cento em relação ao ano passado.

Os dados fiscais mostram uma dinâmica de gasto público elevado, investimento estagnado e aumento do risco de descumprimento da meta fiscal.

A meta de superávit primário para o setor público consolidado (governo central, Estados e municípios) era de 155,9 bilhões de reais, equivalente a 3,1 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), mas foi reduzida para 2,3 por cento diante da previsão do governo de descontar 45 bilhões de reais em gastos com desoneração e investimento.

Do total da meta ajustada, o governo central responde por 63 bilhões de reais e se comprometeu a economizar mais 10 bilhões de reais para compensar eventual descumprimento do objetivo de superávit de 47,8 bilhões de reais dos governos regionais.

A situação fiscal precária levou o governo a tentar negociar o recebimento de dívidas tributárias bilionárias com multinacionais, bancos e empresas em geral num esforço de fazer receita extra para o fechamento das contas.

(Reportagem de Luciana Otoni)