Ações dos EUA recuam diante de possível paralisação do governo

sexta-feira, 27 de setembro de 2013 20:44 BRT
 

Por Caroline Valetkevitch

NOVA YORK, 27 Set (Reuters) - As ações dos Estados Unidos fecharam em queda nesta sexta-feira e os índices Dow Jones e S&P 500 registraram o primeiro recuo semanal nas últimas quatro semanas, com parlamentares democratas e republicanos enfrentando dificuldade para aprovar o orçamento federal e evitar a paralisação do governo.

O índice Dow Jones recuou 0,46 por cento, para 15.258 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve desvalorização de 0,41 por cento, para 1.691 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 0,15 por cento, para 3.781 pontos.

O S&P 500 recuou 1,1 por cento na semana e acumula perda de cerca de 2 por cento desde a máxima histórica, estabelecida em 18 de setembro quando o Federal Reserve, banco central dos EUA, anunciou que manteria seu programa de estímulos inalterado por ora.

O Dow Jones, por sua vez, recuou 1,3 por cento na semana, enquanto o Nasdaq ganhou 0,2 por cento.

Aproxima-se o prazo para que parlamentares evitem a paralisação parcial das operações do governo dos EUA, em 1º de outubro. Deputados republicanos querem usar a lei de gastos para estrangular a reforma do sistema de saúde, meta do conservador Tea Party.

O Senado aprovou medida emergencial de financiamento nesta sexta-feira, que mantém as agências públicas em funcionamento após 30 de setembro. A medida precisa ser aprovada agora pela Câmara, que tem maioria republicana, onde deve encontrar oposição. A Câmara pode votar a medida em sessão extraordinária no sábado ou no domingo.

"Acho que investidores estão contemplando qual o impacto sobre a confiança do consumidor, receitas e resultados corporativos se Washington entrar em impasse", disse o estrategista-chefe de mercados do D.A. Davidson & Co., Fred Dickson.

Oito dos 10 setores do S&P 500 terminaram no vermelho, com o setor de matérias-primas liderando as perdas. O índice setorial de matérias-primas declinou 1,2 por cento.

Pouco antes do fim dos negócios, o presidente Barack Obama fez um apelo para que deputados republicanos evitem a paralisação do governo sem cortes à lei de saúde pública ou outras condições.