Ministro da Economia italiano vê reação limitada do mercado a caos no governo

segunda-feira, 30 de setembro de 2013 08:13 BRT
 

ROMA, 29 Set (Reuters) - O ministro da Economia da Itália minimizou o risco de que os mercados financeiros possam punir o país na abertura dos negócios na segunda-feira, depois de Silvio Berlusconi ter sacado seus ministros do gabinete e provocado uma crise governamental.

A atitude de Berlusconi, tomada no sábado, derrubou na prática o governo do primeiro-ministro, Enrico Letta.

"Acho que a incerteza quanto à instabilidade do governo já foi precificada em boa parte durante as últimas semanas", disse o ministro da Economia, Fabrizio Saccomanni, ao jornal Il Sole 24 Ore.

Letta se encontra com o presidente Giorgio Napolitano neste domingo para discutir seus próximos passos e discursa ao Parlamento no início da semana que vem. Napolitano deixou claro ser contra a execução de novas eleições apenas sete meses após o último pleito, mas não está claro se o país pode chegar a uma nova maioria parlamentar.

Mesmo antes da medida de Berlusconi, a briga entre coalizões vinha prejudicando esforços para aprovar reformas importantes de que a Itália precisa para superar uma recessão que já dura dois anos, uma década de estagnação econômica, uma dívida pública de 2 trilhões de euros e uma taxa de desemprego de cerca de 40 por cento entre os jovens.

As renúncias dos ministros irão postergar ainda mais tais reformas.

(Por Steve Jewkes e Gavin Jones)

 
Ministro da Economia italiano, Fabrizio Saccomanni, em encontro com ministros da zona do euro, em Bruxelas, Capital da União Européia (UE), em maio. O ministro minimizou neste domingo a risco de que os mercados financeiros possam punir o país pela crise instaurada por Silvio Berlusconi, ex-primeiro-ministro italiano, no último sábado. 13/05/2013 REUTERS/Francois Lenoir HEADSHOT POLITICS) - RTXZKWC