Dólar sobe 0,55% ante real, apesar de incertezas nos EUA

terça-feira, 1 de outubro de 2013 18:36 BRT
 

Por Bruno Federowski e Marília Carrera

SÃO PAULO, 1 Out (Reuters) - O dólar fechou em alta ante o real nesta terça-feira, apesar de expectativas de que a paralisação do governo dos Estados Unidos obrigue o banco central norte-americano a adiar a retirada de estímulos para compensar o impacto de uma queda súbita dos gastos públicos.

Estas apostas chegaram a derrubar a divisa dos EUA abaixo do importante patamar de suporte de 2,20 reais, mas o dólar logo rebateu a queda, delineando o que analistas identificaram como um possível piso informal.

O dólar avançou 0,55 por cento, para 2,2286 reais na venda. Na mínima do dia, a divisa chegou a 2,1971 reais. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,09 bilhão de dólares.

"Está se caracterizando um piso informal em torno de 2,20 reais. Toda vez que bate nesse patamar, o dólar logo volta a subir", disse o superintendente de câmbio da Advanced Corretora, Reginaldo Siaca.

O dólar flertou com o nível de 2,20 reais no fim de setembro, quando o Federal Reserve, banco central dos EUA, decidiu manter seu programa de estímulo monetário, enfraquecendo o dólar nos mercados globais.

Um dia após a divisa norte-americana fechar nesse patamar, o Banco Central brasileiro recusou algumas propostas de compra de swap pela primeira vez desde o início do programa de intervenções diárias no mercado de câmbio. A decisão do BC alimentou suposições de que a autoridade monetária não quer que o dólar caia excessivamente para preservar a competitividade da indústria brasileira.

Analistas citaram ainda o nível de 2,2176 reais, equivalente à média móvel de dez dias da divisa, como uma barreira técnica importante.

No início da sessão, o dólar chegou a romper esse patamar, após a notícia de que o Congresso dos EUA não foi capaz de chegar a um acordo para impedir que o vencimento do orçamento público paralisasse o governo federal.   Continuação...