EXCLUSIVO-Alguns Investidores da Microsoft pedem ao conselho saída de Gates

quarta-feira, 2 de outubro de 2013 12:56 BRT
 

Por Nadia Damouni e Bill Rigby

NOVA YORK/SEATTLE, 1 Out (Reuters) - Três dos 20 principais investidores da Microsoft Corp estão pedindo ao conselho para pressionar pela saída de Bill Gates como presidente do Conselho de Administração da empresa de software que ele ajudou a fundar há 38 anos, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto.

Apesar de o presidente-executivo da Microsoft, Steve Ballmer, ter estado sob pressão por anos para melhorar o desempenho da empresa e o preço da ação, esta parece ser a primeira vez que os principais acionistas estão mirando Gates, que continua a ser uma das figuras mais respeitadas e influentes no setor de tecnologia.

Um representante da Microsoft não quis comentar a notícia nesta terça-feira.

Não há nenhuma indicação de que o Conselho da Microsoft irá atender os desejos dos três investidores, que detêm em conjunto mais de 5 por cento das ações da empresa, de acordo com as fontes. Elas pediram que a identidade dos investidores não fosse revelada porque as discussões são privadas.

Gates possui cerca de 4,5 por cento da empresa avaliada em 277 bilhões de dólares e é seu maior acionista individual.

Os três investidores estão preocupados que a presença de Gates no Conselho efetivamente bloqueie a adoção de novas estratégias e limite o poder de um novo presidente-executivo para fazer mudanças substanciais. Em particular, eles chamam atenção para o papel de Gates na busca do comitê especial pelo sucessor de Ballmer.

Eles também estão preocupados que Gates - que passa a maior parte de seu tempo em sua fundação filantrópica - exerça um poder desproporcional à sua participação em declínio na empresa.

Gates, que era dono de 49 por cento da Microsoft antes da abertura de capital da companhia em 1986, vendeu cerca de 80 milhões de ações da Microsoft por ano em um plano pré-estabelecido, que se continar o deixaria sem nenhuma participação financeira na companhia em 2018.   Continuação...