2 de Outubro de 2013 / às 12:46 / 4 anos atrás

Produção industrial no Brasil fica estagnada em agosto, diz IBGE

Operários trabalham na linha de montagem de uma colheitadeira na planta da marca Case em Sorocaba, São Paulo. A produção industrial brasileira ficou estagnada em agosto frente a julho, marcando o segundo mês sem crescimento, afetada sobretudo pelo segmento de bens de consumo, apesar do bom desempenho dos bens de capital. 18/08/2013.Paulo Whitaker

RIO DE JANEIRO, 2 Out (Reuters) - A produção industrial brasileira ficou estagnada em agosto frente a julho, marcando o segundo mês sem crescimento, afetada sobretudo pelo segmento de bens de consumo, apesar do bom desempenho dos bens de capital.

Sobre um ano antes, a produção teve queda de 1,2 por cento em agosto, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.

De acordo com pesquisa da Reuters junto a 22 analistas, a expectativa era de que a produção industrial subisse 0,15 por cento em agosto ante julho e recuasse 0,75 por cento sobre o mesmo mês de 2012.

O cenário para a indústria brasileira é pior ainda porque o IBGE também revisou para baixo o desempenho de julho, cuja queda mensal passou a 2,4 por cento, ante 2 por cento.

Em agosto, a categoria Bens de Consumo registrou queda de 0,6 por cento sobre julho, com recuo anual de 2,8 por cento. Por outro lado, a categoria Bens de Capital, medida de investimentos, apresentou alta mensal de 2,6 por cento e anual, de 11,8 por cento em agosto.

Já a categoria Bens Intermediários teve expansão mensal de 0,6 por cento e queda anual de 2 por cento, respectivamente.

Pelos ramos de atividade, 15 dos 27 pesquisados apresentaram alta mensal, com destaque para veículos automotores (1,7) e alimentos (2,5 por cento).

Entre as atividades que reduziram a produção, o IBGE destacou a indústria farmacêutica, que recuou 5,6 por cento em agosto,citando ainda bebidas (-3,1 por cento) e outros equipamentos de transporte (-3,7 por cento).

A atividade industrial brasileira tem registrado comportamento errático ao longo deste ano.

Um dos principais abalos é a falta de confiança entre os vários setores da economia. Em agosto a confiança da indústria apurada pela Fundação Getulio Vargas renovou o menor nível desde julho de 2009, ao recuar 0,6 por cento.

Reportagem de Rodrigo Viga Gaier e Felipe Pontes

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below