Russa Lukoil pretende sair de projeto de petróleo na Venezuela

quarta-feira, 2 de outubro de 2013 17:04 BRT
 

ASTRAKHAN, Rússia, 2 Out (Reuters) - A Lukoil, segunda maior petroleira da Rússia, pretende vender sua participação em um consórcio russo que participa de um grande projeto na Venezuela, porque o negócio não é uma prioridade, disse o presidente da empresa nesta quarta-feira.

A Venezuela é o décimo primeiro maior exportador de petróleo, mas empresas estrangeiras têm enfrentado controles sobre os preços e desvalorização da moeda, além de ameaças de nacionalização, forçando várias delas a deixar o país.

A saída da Lukoil pode aumentar as dúvidas que recaem sobre os ambiciosos planos da Venezuela de elevar a estagnada produção e sobre a capacidade do governo de tornar realidade a produção na promissora região do Orinoco.

A Lukoil é parte do consórcio Junin-6, formado para desenvolver petróleo pesado na Bacia do Orinoco. O grupo é liderado pela gigante estatal russa Rosneft e inclui ainda a Gazprom Neft.

"Nós fizemos uma oferta para que o consórcio compre a nossa fatia", disse o presidente da Lukoil, Vagit Alekperov, a repórteres. "Este não é um projeto prioritário para nós."

O consórcio Junin-6 detém fatia de 40 por cento no projeto, que iniciou produção em setembro de 2012, enquanto a estatal venezuelana PDVSA tem os outros 60 por cento.

(Reportagem de Katya Golubkova, reportagem adicional de Vladimir Soldatkin e Olesya Astakhova