Democratas dizem que Obama rejeitou argumentos dos republicanos em reunião

quarta-feira, 2 de outubro de 2013 20:49 BRT
 

WASHINGTON, 2 Out (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, rejeitou apelos dos republicanos para negociar sua lei de saúde nesta quarta-feira como condição para um acordo para aprovar a legislação que acabaria com uma paralisação do governo, disseram líderes democratas.

O líder da maioria no Senado, Harry Reid, deixou a reunião após mais de uma hora de conversa com Obama, o presidente da Câmara dos Deputados, John Boehner, principal republicano dos EUA, e outros líderes do Congresso para dizer que Obama afirmou aos republicanos que "ele não vai permitir" as táticas que estão sendo usadas por eles.

A líder democrata na Câmara, Nancy Pelosi, disse que Obama não vai invocar uma cláusula na 14ª Emenda da Constituição dos EUA, como forma de elevar o teto da dívida no país. Os Estados Unidos vão ficar sem dinheiro para pagar suas contas em 17 de outubro, se o teto da dívida não for elevado.

"Ele não vai" invocar a 14ª Emenda, disse ela aos repórteres.

(Reportagem de Steve Holland e Jeff Mason)