Banco Original expande operações para segmento corporate

quinta-feira, 3 de outubro de 2013 12:19 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco Original, do grupo J&F, especializado no setor de agronegócio, pretende tornar-se um banco completo e escolheu o segmento de corporate banking para iniciar este projeto, que no longo prazo pode incluir os setores de varejo, banco de investimentos e seguros.

O objetivo é atender empresas de diferentes setores com faturamento acima de 300 milhões de reais, segundo o diretor executivo de corporate do Original, Matheus Oliveira. A prospecção de clientes começou em janeiro deste ano, e o banco tem operações contratadas de 500 milhões de reais neste segmento, e 1 bilhão de reais no total.

Até o momento, são oferecidos pelo Original empréstimos, produtos de tesouraria para proteção cambial e crédito para exportação, mas a partir do ano que vem a instituição passará a trabalhar com repasses do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e financiamento de importação.

"Gradativamente vamos expandir a atuação geográfica, atualmente concentrada na região Sudeste", afirmou a jornalistas em entrevista concedida na sede do banco.

A instituição contratou 50 profissionais de bancos nacionais e internacionais para atuar na área corporate, compondo uma equipe de 450 funcionários que trabalham na instituição criada em 2008 como banco JBS.

Com patrimônio líquido de 2 bilhões de reais, o banco planeja entrar em outros segmentos, como varejo, banco de investimentos e seguros, mas isso deve ocorrer ao longo dos próximos anos, disse o executivo, sem dar mais detalhes.

"No longo prazo o banco quer atuar de forma completa", afirmou o diretor executivo de crédito do banco, Giuseppe Paternostro, acrescentando que o crescimento deve ocorrer de forma orgânica.

Apesar da forte concentração do mercado bancário, os executivos afirmaram que o crescimento das empresas médias brasileiras, na casa de dois dígitos, cria oportunidades de crescimento.

"O mercado de crédito para pessoas jurídicas no Brasil é de 1,2 trilhão de reais, e apesar da concentração do mercado acreditamos que existe potencial", afirmou.

(Por Natalia Gomez)