Moody's reduz Petrobras para "Baa1" por dívida; perspectiva é negativa

sexta-feira, 4 de outubro de 2013 11:38 BRT
 

SÃO PAULO, 3 Out (Reuters) - A agência de classificação de risco Moody's rebaixou nesta quinta-feira os ratings de dívida da Petrobras, por preocupações com a alta alavancagem financeira e o fluxo de caixa negativo da estatal brasileira.

O rating em escala global foi reduzido de "A3"para "Baa1", ainda grau de investimento e acima da nota da dívida soberana brasileira. A perspectiva permanece negativa, o que significa que a estatal petroleira poderá ter sua nota novamente reduzida no futuro, caso a sua dívida aumente.

"O rebaixamento reflete a elevada alavancagem financeira da Petrobras e a expectativa de que a empresa deverá continuar a ter grande fluxo de caixa negativo nos próximos anos, à medida que conduz seu programa de investimentos", disse a Moody's em nota.

A Petrobras disse que não comentaria a decisão.

A dívida total da companhia aumentou em 16,3 bilhões de dólares no primeiro semestre deste ano, citou a agência, acrescentando que o endividamento deverá aumentar novamente em 2014, com base em uma perspectiva negativa para o fluxo de caixa ao longo de 2014 e em 2015.

A relação dívida total/Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) está em 3,8 vezes, ressaltou a Moody's.

"Nós vemos a alavancagem da Petrobras em níveis próximos ao pico em 2013 e 2014, significativamente mais altos do que aqueles de seus pares da indústria, e provavelmente apenas vai declinar de 2015 em diante", afirmou o vice-presidente sênior da Moody's, Thomas Coleman, em nota.

Ele disse ainda que a "execução bem-sucedida de seu ambicioso programa de investimento e a entrega das agressivas metas de produção serão chave para reduzir a alavancagem nos próximos anos e para estabilizar a perspectiva do rating".

O programa de investimento da Petrobras é de 237 bilhões de dólares para o período de cinco anos.   Continuação...