Chuvas duplicam fila de navios de açúcar em Santos

sexta-feira, 4 de outubro de 2013 16:41 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO, 4 Out (Reuters) - Chuvas nas últimas duas semanas duplicaram o tempo de espera dos navios para embarque de açúcar em Santos, atrapalharam a movimentação de outras commodities agrícolas e prejudicaram os trabalhos também em Paranaguá, informaram agências marítimas nesta sexta-feira.

"Alguns navios de açúcar já estão esperando em Santos algo como 10 a 12 dias. Em Paranaguá, 10 dias", disse a analista comercial da SA Commodities, Nicolle Castro.

Segundo ela, em setembro, a média de espera era de 6 a 7 dias em Santos.

"Os terminais ainda estão recebendo, mas se prolongar (o período sem embarques), pode prejudicar a estocagem", ressaltou, lembrando que a chuva interrompe o embarque de produtos, mas não a chegada dos caminhões, elevando o volume acumulado nos armazéns dos terminais.

No porto do litoral paulista, o mais importante do Brasil, choveu em 15 dos últimos 17 dias, segundo dados compilados pela Somar Meteorologia. Em Paranaguá, outro porto relevante para o escoamento agrícola, choveu em 4 dos últimos 5 dias.

Granéis agrícolas, como soja, milho, açúcar e fertilizantes, não são movimentados em dias de chuva porque os porões dos navios ficam fechados para evitar umidade na carga.

Quanto à soja e ao milho, cujas exportações já estão começando a diminuir após um pico histórico em maio, as filas também são elevadas pelas chuvas, embora o tempo de espera seja tradicionalmente maior, variando a até 40 dias em Paranaguá e até 30 dias em alguns terminais de Santos, disse Nicolle.

Na avaliação da agência marítima Williams, com forte atuação na movimentação de cargas de açúcar, a fila de navios praticamente duplicou em Santos nas últimas duas semanas.   Continuação...