Índice Bovespa fecha no azul após melhora de Petrobras e OGX

sábado, 5 de outubro de 2013 15:47 BRT
 

SÃO PAULO, 4 Out (Reuters) - O mercado acionário brasileiro fechou em alta nesta sexta-feira, seguindo as bolsas nova-iorquinas e com a melhora dos papéis da Petrobras e da OGX ajudando a levantar seu principal índice.

O Ibovespa teve alta de 0,68 por cento, a 52.848 pontos. Na semana, houve desvalorização de 1,66 por cento. O giro financeiro do pregão foi de 5,2 bilhões de reais.

Pela manhã, o Ibovespa operou em queda, mas conseguiu inverter o sinal na parte da tarde e fechar no azul, conforme a preferencial da Petrobras e a ação da OGX passaram para o campo positivo e a preferencial da Vale ampliou ganhos.

"Nesta semana e na última o mercado recuou, então chegou a um ponto em que encontra um suporte, uma força compradora", afirmou o operador Rudimar Joner Filho, da Banrisul Corretora.

A preferencial da Petrobras chegou a cair mais de 2,5 por cento mais cedo, quando foi a principal pressão negativa sobre o Ibovespa, reagindo à decisão da agência de classificação de risco Moody's de rebaixar o rating em escala global da estatal brasileira de "A3" para "Baa1".

"O balanço da companhia tem alguns aspectos preocupantes, como alta alavancagem e defasagem dos preços dos combustíveis, o que afetou muito a empresa", disse o analista de renda variável João Pedro Brugger, da Leme Investimentos. "Embora não seja uma surpresa, certamente não ajuda a ação", completou.

Companhias do setor siderúrgico como Gerdau e CSN também colaboraram para que o Ibovespa fechasse no campo positivo.

Na outra ponta, a operadora de telefonia Oi foi novamente destaque de queda, após já ter recuado na véspera, quando investidores reavaliaram os desdobramentos da fusão da operadora brasileira com a Portugal Telecom, anunciada na quarta-feira.

A bolsa teve um dia de volume financeiro reduzido, em meio à agenda interna e externa fraca. O Departamento do Trabalho dos EUA atrasou a divulgação do relatório de folhas de pagamento, normalmente um foco de atenção do mercado, devido à paralisação parcial do governo, que já está no quarto dia.   Continuação...