Carrefour diz que era do "imperialismo" na expansão varejista acabou

segunda-feira, 7 de outubro de 2013 17:02 BRT
 

PARIS, 7 Out (Reuters) - A era do imperialismo no varejo internacional acabou e os grupos precisam aprender a adaptar suas marcas para ganharem de competidores locais, disse o presidente-executivo do Carrefour, Georges Plassat, nesta segunda-feira.

Os comentários de Plassat chegam após uma série de redes de supermercados, incluindo a britânica Tesco e o próprio Carrefour, serem forçadas a frear seus planos de expansão depois de enfrentarem dificuldades em alguns mercados estrangeiros.

"O que os varejistas estrangeiros muitas vezes subestimam ao avaliarem oportunidades para crescer internacionalmente é o crescente poder e sofisticação dos concorrentes locais", disse Plassat durante o Congresso Mundial do Varejo, em Paris.

"Quando você vai a países como o Brasil ou China, essas pessoas não estão te esperando", acrescentou. "Nós não estamos em uma era imperialista."

Depois de um período vendendo ativos para diminuir a dívida, o Carrefour, maior varejista da Europa, procura maneiras de acelerar seu crescimento no Brasil e na China, mais ainda não decidiu como fazê-lo, disse Plassat a investidores em agosto.

(Reportagem de Dominique Vidalon)