Balança comercial brasileira inicia outubro com superávit de US$1,8 bi

segunda-feira, 7 de outubro de 2013 17:26 BRT
 

BRASÍLIA, 7 Out (Reuters) - A balança comercial brasileira iniciou o mês de outubro com superávit de 1,854 bilhão de dólares, por conta da exportação de uma plataforma para extração de petróleo e gás, ajudando o resultado acumulado no ano a ficar positivo após um longo período de déficit.

Entre os dias 1o e 6 deste mês, as exportações somaram 6,069 bilhões de dólares e as importações, 4,215 bilhões de dólares, informou nesta segunda-feira o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

As exportações aumentaram 53,4 por cento pela média diária em comparação a outubro do ano passado devido, principalmente, à venda da plataforma para extração de petróleo e gás. Também contribuíram para o desempenho das exportações os maiores embarques de veículos de carga, automóveis de passageiros, petróleo em bruto, soja, minério de ferro e carne.

Já as importações cresceram 15,3 por cento pela média diária ante outubro de 2012 e 17,4 por cento frente setembro. Em relação a outubro do ano passado, aumentaram as compras de combustíveis e lubrificantes, aparelhos eletroeletrônicos, produtos siderúrgicos e químicos. Já frente a setembro, as maiores altas foram nas aquisições combustíveis e lubrificantes, eletroeletrônicos, produtos farmacêuticos, plásticos e siderúrgicos.

No acumulado do ano até a primeira semana de outubro, as exportações somam 183,719 bilhões de dólares e as importações, 183,473 bilhões de dólares. O saldo comercial está positivo em 246 milhões de dólares no ano.

A balança comercial atravessa um ano difícil devido ao baixo crescimento do comércio internacional e pelo elevado déficit acumulado no ano da conta petróleo.

Em setembro, a balança comercial começou a refletir efeitos da desvalorização do câmbio com maiores embarques de automóveis, indicando possibilidade de melhora da competitividade dos produtos brasileiros no exterior e uma dinâmica mais favorável para as exportações nos próximos meses.

O desempenho ruim da balança comercial deste ano é um dos fatores de piora das contas externas do país. Em agosto, a conta transações correntes registrou déficit recorde para o mês de 5,5 bilhões de dólares, elevando para 57,952 bilhões de dólares o déficit acumulado no ano.

(Reportagem de Luciana Otoni)