Crescimento do setor de serviços da China desacelera em setembro

terça-feira, 8 de outubro de 2013 13:18 BRT
 

PEQUIM, 8 Out (Reuters) - O crescimento do setor de serviços da China desacelerou em setembro e o otimismo sobre as perspectivas de negócios enfraqueceu, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Markit/HSBC nesta terça-feira, indicando que a recuperação nascente na segunda maior economia do mundo deve seguir lenta.

O PMI do setor de serviços chinês ficou em 52,4 em setembro, ante 52,8 em agosto, bem acima do patamar de 50, que separa expansão de contração. Um aumento em novos negócios compensou a queda nas novas encomendas, segundo a pesquisa.

A leitura contrasta com o PMI oficial de serviços da China, publicado na semana passada, que mostrou o setor expandindo em setembro no ritmo mais rápido em seis meses, graças ao crescimento da demanda. O PMI oficial subiu para 55,4 em setembro, de 53,9 em agosto.

As duas pesquisas são diferentes porque a medida oficial pesquisa grandes empresas e estatais, enquanto o Markit/HSBC se concentra em empresas privadas menores, o que mostra uma possibilidade de uma recuperação de dois níveis.

O setor de serviços, que até agora tem resistido à crise global melhor do que o setor industrial, é um pilar cada vez mais importante na economia da China, especialmente em um momento em que o governo pretende expandir o consumo interno para impulsionar o crescimento.

O setor de serviços foi responsável por aproximadamente 45 por cento da economia chinesa em 2012 e é o maior empregador do país.

A pesquisa mostrou que as expectativas de negócios enfraqueceram durante o mês, com entrevistados citando a demanda fraca.

 
Funcionários negociam com consumidores em cabines que vendem celulares em shopping center em Pequim, China, 3 de setembro de 2013. O crescimento do setor de serviços da China desacelerou em setembro e o otimismo sobre as perspectivas de negócios enfraqueceu, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Markit/HSBC nesta terça-feira, indicando que a recuperação nascente na segunda maior economia do mundo deve seguir lenta. 03/09/2013 REUTERS/Kim Kyung-Hoon