IPCA acelera a 0,35% em setembro, mas recua a 5,86% em 12 meses

quarta-feira, 9 de outubro de 2013 20:57 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Tiago Pariz

RIO DE JANEIRO, 9 Out (Reuters) - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou para 0,35 por cento em setembro, pressionado pelos preços de transportes e habitação, além de sentir o efeito da alta do dólar em relação ao real.

No acumulado de 12 meses, no entanto, o IPCA desacelerou para 5,86 por cento, na primeira vez no ano que ficou abaixo dos 6 por cento, informou nesta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), poucas horas antes de o Banco Central definir o novo nível do juro básico.

Os dois resultados ficaram em linha com as expectativas do mercado, segundo pesquisa da Reuters, e reforçam a perspectiva de que o BC vai continuar seu ciclo de aperto monetário.

Embora a maior alta, e consequentemente o maior impacto sobre o índice, tenha vindo do grupo Habitação (respectivamente 0,62 por cento e 0,09 ponto percentual), a aceleração mais forte se deu no grupo Transportes, que passou de queda de 0,06 por cento para alta de 0,44 por cento. Se em agosto Transportes teve impacto de -0,01 ponto no indicador, agora ele foi positivo em 0,08 ponto percentual.

"O impacto da redução na tarifa de ônibus definitivamente se esgotou", frisou a economista do IBGE Eulina Nunes dos Santos.

Após protestos em todo o país, prefeituras recuaram em aumentos nas tarifas de ônibus e o item chegou a cair 3,32 por cento em julho. Em agosto a queda foi de 0,20 por cento e agora, em setembro, ficou estável.

Isso somou-se à alta de 16,09 por cento das passagens aéreas --maior impacto individual no índice do mês com 0,08 ponto percentual-- e compensou os recuos de 1,31 por cento nos preços do etanol e de 0,26 por cento na gasolina.

SERVIÇOS E DÓLAR   Continuação...