Sinais de acordo em Washington desencadeiam rali em Wall St

quinta-feira, 10 de outubro de 2013 20:31 BRT
 

Por Rodrigo Campos

NOVA YORK, 10 Out (Reuters) - Os principais índices acionários dos Estados Unidos tiveram o maior rali em mais de nove meses nesta quinta-feira após sinais de progresso nas negociações para aumentar o teto da dívida norte-americana, pelo menos temporariamente.

O índice Dow Jones avançou 2,18 por cento, para 15.126 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 2,18 por cento, para 1.692 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 2,26 por cento, para 3.760 pontos.

O rali deixou o S&P a menos de 2 por cento de distância da máxima histórica estabelecida há três semanas, com operadores voltando a atenção agora para a temporada de resultados corporativos que começa na sexta-feira, com resultados dos bancos JPMorgan e Wells Fargo.

Líderes republicanos na Câmara agiram para solucionar o impasse nas negociações ao propor um projeto para elevar o teto da dívida do governo federal sem condições. A manobra representou mudança significativa para os republicanos, que haviam tentado usar a legislação obrigatória para extrair concessões de democratas sobre gastos e estrangular a nova lei de saúde pública conhecida como Obamacare.

A proposta, que planejavam apresentar ao presidente Barack Obama na Casa Branca, adiaria a ameaça de default norte-americano de 17 de outubro para o fim ou meados de novembro. O governo federal continuaria em paralisação parcial.

"Isso abre a porta para discussões e negociações, enquanto antes havia dois lados se acusando mutuamente", disse o co-chefe de investimentos do OakBrook Investments, Peter Jankovskis.

"Não sabemos se em seis semanas continuaremos no mesmo lugar, mas pelo menos isso abre a possibilidade de um acordo duradouro", afirmou.

O índice de volatilidade CBOE, costumeiramente utilizado para medir o nível de ansiedade dos investidores, desabou 15,9 por cento, para 16,48 pontos, perto do nível visto no fim de setembro, antes da paralisação do governo.