Cemig cria subsidiária para gerir concessões renovadas de transmissão

sexta-feira, 11 de outubro de 2013 10:37 BRT
 

SÃO PAULO, 10 Out (Reuters) - A Cemig aprovou nesta quinta-feira a criação de subsidiária integral Cemig Transmissão (Cemig T), que irá gerir todos os ativos de transmissão hoje sob responsabilidade da Cemig Geração e Transmissão (Cemig GT), no total de cerca de 5 mil quilômetros de linhas e dezenas de subestações.

"A criação da Cemig T visa adequar a Cemig ao novo ambiente regulatório imposto pela Lei 12.783, trazendo maior foco ao negócio de transmissão, bem como maior clareza na gestão de suas receitas e de seus custos, além de reduzir os impactos econômico-financeiros de eventuais penalidades que possam vir a ser aplicadas à transmissora", informou a estatal mineira de energia em comunicado enviado à impresa.

A Lei 12.783 é resultado da Medida Provisória 579, que estabeleceu as regras para renovação antecipada das concessões de ativos de geração e transmissão que venceriam entre 2015 e 2017. A Cemig aceitou a renovação das concessões para os seus ativos de transmissão, mas recusou para os de geração.

"Foi determinado pelo Conselho de Administração que a Cemig adote todas as providências necessárias junto aos foros e organismos pertinentes para a necessária reestruturação dos negócios de transmissão", informou a presidente do Conselho da Cemig, Dorothea Werneck, em comunicado.

As consultorias Pricewaterhouse Coopers (PwC) e Rolim Viotti & Leite Campos foram contratadas para definir de que forma será feita a criação da Cemig T. Segundo o presidente da Cemig, Djalma Bastos de Morais, "a sinergia dos negócios de transmissão com as demais áreas da empresa será preservada para garantir o crescimento dos negócio".

A criação da nova subsidiária ainda depende de aprovação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A Cemig também atua no segmento de transmissão de energia por meio da Taesa.

(Por Anna Flávia Rochas)