Bancos elevam oferta de reajuste e greve pode ser encerrada na 2a

sexta-feira, 11 de outubro de 2013 15:41 BRT
 

SÃO PAULO, 11 Out (Reuters) - Os bancos no Brasil aceitaram elevar oferta de reajuste salarial nesta sexta-feira, e bancários parados há 23 dias poderão retornar ao trabalho a partir da próxima segunda-feira, informou confederação dos trabalhadores do setor.

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), ligada à CUT, os bancos propuseram 8 por cento de reajuste salarial, o que embute um aumento real de 1,82 por cento.

A categoria cobrava reajuste salarial de 11,93 por cento, que incluía 5 por cento de aumento sobre a inflação. Os bancos propunham inicialmente reajuste de 6,1 por cento.

A entidade informou que trabalhadores dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco devem promover assembleias para votar sobre o acordo ainda nesta sexta-feira. Sindicatos em outros Estados promoverão votações até segunda-feira.

Segundo a Contraf-CUT, a paralisação fechou mais de 12 mil agências bancárias pelo país e afetando comércio e concessão de crédito no período. A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) chegou a pedir um acordo para o fim da greve, temendo perdas de até 30 por cento nas vendas do varejo do início de outubro.

Além do índice de reajuste, o Comando Nacional de greve aprovou ainda propostas dos bancos envolvendo aumento de 8,5 por cento sobre o piso salarial além de alta de 2 para 2,2 por cento no lucro líquido a ser distribuído em parcela adicional da Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

(Por Alberto Alerigi Jr., edição de Roberta Vilas Boas)

 
Mulher caminha em frente à entrada do Banco do Brasil bloqueada por bancários em greve, em São Paulo. Os bancos no Brasil aceitaram elevar oferta de reajuste salarial nesta sexta-feira, e bancários parados há 23 dias poderão retornar ao trabalho a partir da próxima segunda-feira, informou confederação dos trabalhadores do setor. 19/09/2013. REUTERS/Paulo Whitaker