EXCLUSIVO-Vale e Glencore retomam negociação sobre parceria no Canadá--fontes

sexta-feira, 11 de outubro de 2013 19:19 BRT
 

LONDRES/TORONTO, 11 Out (Reuters) - As mineradoras Vale e Glencore Xstrata retomaram negociações sobre uma possível parceria em suas operações de níquel na bacia de Sudbury, no Canadá, em um esforço para cortar custos em meio à retração dos preços do metal, disseram fontes com conhecimento sobre a situação.

As discussões ainda estão em um estágio inicial, mas reavivaram esperanças de uma parceria há muito debatida para Sudbury, com as empresas considerando uma série de opções para a suas operações de mineração e processamento na área, disseram as fontes.

Dependendo dos detalhes de um possível acordo, várias das fontes disseram que uma parceria pode significar uma economia substancial para os dois pesos-pesados ​​da mineração, caso todas ou parte de suas operações de mineração, moagem e até fundição sejam unidas.

Em 2006, uma proposta de fusão entre a Falconbridge e a Inco --então players em Sudbury, depois assumida pela Xstrata e pela Vale, respectivamente-- esperava uma economia anual de custo e sinergias da ordem de 550 milhões de dólares.

As fontes disseram que as negociações recomeçaram após a Glencore completar sua aquisição da Xstrata no início deste ano. As discussões já progrediram em meio a um cenário redução do preço do nível de cerca de um quinto desde janeiro para mínimas em 4 anos, pressionados por um excesso de oferta.

"Há valor material a ser criado, mas algumas decisões difíceis têm de ser tomadas", disse uma das fontes.

Glencore Xstrata e Vale --cujo atual presidente-executivo Murilo Ferreira liderou a Vale Inco, mais tarde Vale Canada, após a aquisição de 2006-- declinaram comentar.

As duas principais operadoras em Sudbury já travaram negociações sobre unir suas forças em mais de uma ocasião, tanto como Inco e Falconbridge e mais tarde como Vale e Xstrata. Analistas há muito têm dito que uma parceria faria sentido para as duas operadoras explorando mineralmente a formação de 60 km de comprimento e forma oval conhecida como bacia de Sudbury.

Mas as fontes disseram que um mercado de níquel difícil, a pressão sobre a Vale em relação às dificuldades na sua mina de níquel e cobalto de Goro na Nova Caledônia e em outros lugares, fazem com que um negócio seja mais provável agora ​​do que no passado. Da mesma forma, os problemas da divisão de níquel da Vale podem revelar-se uma distração, disseram eles.   Continuação...

 
Foto de arquivo do presidente-executivo da Vale, Murilo Ferreira, em São Paulo. As mineradoras Vale e Glencore Xstrata retomaram negociações sobre uma possível parceria em suas operações de níquel na bacia de Sudbury, no Canadá, em um esforço para cortar custos em meio à retração dos preços do metal, disseram fontes com conhecimento sobre a situação. 22/06/2011 REUTERS/Nacho Doce