14 de Outubro de 2013 / às 16:15 / 4 anos atrás

CVC retoma plano de lançar ações na Bovespa

SÃO PAULO, 14 Out (Reuters) - A operadora de turismo CVC pediu aval da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta segunda-feira para realizar uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), retomando planos que haviam sido suspensos no início de 2012.

Conforme o prospecto preliminar da operação disponibilizado no site da autarquia, a operação envolverá exclusivamente a distribuição secundária de ações, quando os recursos vão para os acionistas vendedores.

Por isso, o dinheiro levantado com a venda dos papéis não será investido na empresa, informou a CVC, que se apresenta como a maior operadora de turismo da América Latina.

A empresa é controlada pelo grupo norte-americano de investimentos Carlyle, que comprou 63,6 por cento da companhia em dezembro de 2009, sem divulgar valores envolvidos. A participação remanescente ficou com o fundador da companhia, Guilherme Paulus.

No prospecto preliminar, a CVC informou que o Carlyle e Paulus vão vender ações no IPO, sem discriminar a quantidade de papéis envolvidos.

Atualmente, o BTC Fundo de Investimento em Participações, do Carlyle, é dono de 63,22 por cento da CVC, e o GJP Fundo de Investimento, de Paulus, possui outros 36,13 por cento da companhia. Os 0,65 por cento restantes estão em tesouraria.

O banco de investimento Itaú BBA coordenará o IPO, com o Morgan Stanley, Bank of America Merrill Lynch, BTG Pactual e JP Morgan também participando da oferta.

EMPRESA

Fundada em 1972, a CVC cresceu e se consolidou com a venda de pacotes turísticos populares. Citando dados do Ministério do Turismo, a empresa afirmou ter respondido sozinha por 11,4 por cento dos gastos realizados no mercado brasileiro de viagens de lazer em 2012.

Apesar de combinar oferta de passagens aéreas e terrestres, hospedagem e serviços como seguro viagem, a empresa não é proprietária de ativos permanentes e nem paga antecipadamente por quarto de hotéis ou assentos em aviões, disse em prospecto.

A empresa defende que o modelo de “baixo nível de investimento em ativos” é o que permite a obtenção de retornos “consideráveis” sobre os investimentos. No acumulado do ano, no entanto, esse indicador apresenta queda.

De janeiro a setembro, a receita líquida da CVC caiu 1,3 por cento em igual etapa de 2012, a 457,6 milhões de reais, com o lucro líquido recuando 8,2 por cento, a 71,8 milhões de reais.

A companhia afirma atuar em todos os Estados brasileiros e no Distrito Federal, com presença em 288 cidades. Até o fim de setembro, a companhia tinha 750 lojas exclusivas, sendo 717 unidades operadas por franqueados. (Por Marcela Ayres)

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below