Dólar tem leve alta ante real, de olho em negociações fiscais nos EUA

terça-feira, 15 de outubro de 2013 20:51 BRT
 

Por Marília Carrera e Tiago Pariz

SÃO PAULO, 15 Out (Reuters) - O dólar fechou com leve alta ante o real nesta terça-feira, mas ainda abaixo de 2,20 reais, com investidores cautelosos e de olho nos avanços nas negociações orçamentárias entre democratas e republicanos nos Estados Unidos.

O dólar subiu 0,09 por cento, a 2,1800 reais na venda, após tocar na mínima de 2,1765 reais nesta sessão. Segundo dados da BM&F, o volume de negociação continuou baixo, em aproximadamente 825 milhões de dólares.

"Todo mundo está andando na ponta dos pés com esse impasse nos EUA. O impacto nos mercados não está sendo grande porque o pessoal acha que eles vão chegar a um acordo, mas qualquer notícia acaba dando um susto", disse o operador de um banco nacional.

Nesta quinta-feira, as negociações fiscais no Senado dos EUA, de maioria democrata, para elevar o teto da dívida e reativar o governo federal foram suspensas até que a Câmara, de maioria republicana, acerte um plano para financiar o governo e evitar a ameaça de default na maior economia do mundo.

O governo de Barack Obama e o Congresso norte-americano lutam para tentar chegar a um acordo para elevar o teto da dívida até quinta-feira, data em que o país esgotará sua capacidade de empréstimos, com apenas 30 bilhões de dólares em caixa.

"Hoje o movimento está muito pequeno", afirmou o economista-sênior do Espírito Santo Investment Bank, Fávio Serrano. "O mercado está em compasso de espera para ver o que acontece lá fora", acrescentou.

O dólar reagia também à persistente atuação do Banco Central brasileiro nos mercados de câmbio. Nesta sessão, o BC vendeu o lote total de 10 mil contratos com vencimento em 5 de março de 2014 em sua oferta diária de swap cambial tradicional --equivalente à venda futura de dólares. Mais tarde, a autoridade monetária anunciou para quarta-feira outro leilão com as mesmas condições.

O mercado questiona agora se o BC continuará rolando todos os contratos de swap que vencem no dia 1º de novembro, com volume equivalente a 8,87 bilhões de dólares. Isso porque, há quatro pregões que o dólar fica abaixo de 2,20 reais, nível que alguns consideram que pode ser prejudicial às exportações brasileiras apesar de ajudar a retirar pressão sobre a inflação.

"A moeda (real) mais forte é boa para o cenário inflacionário, mas reduz a competitividade e aumenta a proporção entre dívida pública e Produto Interno Bruto", escreveu o economista-chefe do Itaú, Ilan Goldfajn, em relatório.

"Se essa performance continuar e o real mantiver a tendência de apreciação, acreditamos que o BC pode reduzir a intensidade de sua intervenção no mercado de câmbio", afirmou ele, acrescentando acreditar que o BC deve manter até o final do ano seus leilões diários, mas pode não rolar os contratos que vencem ou não aceitar todas as propostas nos leilões regulares.