Ibovespa sobe 1,5% apoiado em ação da OGX, que dispara 48%

quarta-feira, 16 de outubro de 2013 09:35 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO, 15 Out (Reuters) - O principal índice da Bovespa subiu nesta terça-feira, graças à disparada da petroleira OGX, que teve a maior alta desde a estreia na bolsa, em meio a notícias de que o empresário Eike Batista poderia deixar o controle da companhia.

O Ibovespa subiu 1,5 por cento, a 54.980 pontos, tendo chegado a superado os 55 mil pontos. Com a alta desta sessão, o índice ampliou seu avanço em outubro para 5,05 por cento. O giro financeiro do pregão foi de 9,5 bilhões de reais, superior à média dos últimos dias.

Com as ações preferenciais das blue chips Petrobras e Vale tendo variações mais modestas e as bolsas dos Estados Unidos recuando, o Ibovespa avançou majoritariamente por conta de OGX. A ação, que subiu quase 48 por cento, teve sua maior alta percentual desde que chegou à bolsa, em junho de 2008.

A disparada da ação ocorreu após o portal Infomoney afirmar que credores da OGX consideram uma proposta que converteria dívida em ações, dando a eles uma fatia na companhia e diluindo a participação do controlador Eike Batista.

"A notícia acabou provocando uma cobertura de posições de quem está vendido no papel com a proximidade do exercício de opções sobre ações (na próxima segunda), já que ninguém vai pagar para ver", afirmou o especialista em renda variável Rogério Oliveira, da Icap Brasil.

A MMX, também do Grupo EBX, teve a segunda maior alta do Ibovespa, depois de acertar a transferência do controle do seu porto de minério de ferro para a trading Trafigura e o fundo Mubadala.

"Acreditamos que o fechamento desta venda é muito positivo para a MMX, que agora fica sem dívidas, com uma participação significativa nos resultados do porto, sem carregar as dívidas relativas à sua construção", afirmaram analistas da Planner em relatório.

No sentido contrário, recuaram papéis de construtoras, com destaque para a Gafisa, após a Cyrela ter anunciado na véspera redução de vendas e lançamentos no terceiro trimestre, inaugurando a divulgação de dados operacionais do setor.   Continuação...