Dólar cai 0,25% ante o real com BC não anunciando swap para 5ª

quarta-feira, 16 de outubro de 2013 20:58 BRT
 

Por Tiago Pariz e Bruno Federowski

SÃO PAULO, 16 Out (Reuters) - O dólar fechou com leve queda ante o real nesta quarta-feira, após cair mais de 1 por cento durante a sessão, com os investidores reagindo ao fato de o Banco Central não ter anunciado o leilão diário de swap cambial tradicional para o dia seguinte durante o pregão.

O "atraso" da autoridade monetária alimentou as avaliações de que ela poderia reduzir o passo no seu programa de intervenção, após a moeda norte-americana ter chegado ao patamar de 2,15 reais. Mas também desencadeou críticas sobre a clareza na condução desse processo.

Apenas um pouco após das 20h da quarta-feira, o BC anunciou para quinta-feira a intervenção diária, ofertando 10 mil contratos de swap tradicional com vencimento em 5 de março de 2014. O leilão ocorrerá entre 9h30 e 9h40 e o resultado será conhecido a partir das 9h50, as mesmas condições vistas nos últimos leilões.

O dólar fechou em queda de 0,25 por cento, a 2,1746 reais na venda, após ter alcançado 2,1551 na mínima do dia, queda superior a 1 por cento. Segundo dados da BM&F, o volume de negociação ficou em cerca de 1,8 bilhão de dólares, melhor do visto nos últimos dias.

"O BC efetivamente testou o mercado, sentiu que ia ter impacto mesmo e não gostou do que viu. Dado isso, o dólar volta a cair", disse diretor de gestão de recursos da Ativa, Arnaldo Curvello. "Não gostei dessa postura errática do BC. Ele confunde o mercado e isso cria apreensão".

Desde o início do programa em 22 de agosto, o BC anunciava religiosamente às 14h30 a intervenção com swap para o dia seguinte, com raríssimas excessões de variações de minutos. Questionada se havia alguma mudança no horário do anúncio, a assessoria de imprensa do BC chegou a informar que não tinha ainda um posicionamento.

Como o dólar está sendo negociado bem abaixo de 2,20 reais, os investidores já questionavam se o BC continuará com o mesmo ritmo de intervenções diárias no mercado de câmbio, ou mesmo rolando integralmente os contratos de swap que estão para vencer, diante da perda de força da moeda norte-americana sobre o real.

"Se o dólar subir demais, prejudica a inflação. Se o dólar cair demais, prejudica a atividade", resumiu o operador de câmbio da B&T Corretora, Marcos Trabbold. "Com isso, a estratégia do BC fica muito obscura para o mercado".   Continuação...