Ibovespa atinge pico em quase 5 meses com OGX e avanços nos EUA

quinta-feira, 17 de outubro de 2013 08:34 BRT
 

SÃO PAULO, 16 Out (Reuters) - O principal índice da Bovespa teve a sexta alta seguida nesta quarta-feira, após nova disparada da petroleira OGX e refletindo o otimismo com sinais de que um acordo para elevar o teto da dívida dos Estados Unidos pode estar próximo.

O Ibovespa subiu 1,8 por cento, a 55.973 pontos, maior nível desde o fim de maio, após ter superado os 56 mil pontos durante a sessão. Na semana, o índice já acumula ganho de 5,3 por cento.

O giro financeiro do pregão, inflado pelo vencimento de opções de Ibovespa e contratos de futuro, foi de 14,6 bilhões de reais.

"Está havendo um movimento de fluxo para a bolsa em função das questões fiscais nos Estados Unidos, que começam a se resolver", disse o operador de renda variável Dionatan Severo, da Quantitas Asset Management.

Os líderes das maiorias democrata e republicana no Senado norte-americano, Harry Reid e Mitch McConell, afirmaram que senadores chegaram a um acordo para reabrir o governo e elevar o teto da dívida até 7 de fevereiro. A Câmara dos Deputados planejava votar o assunto mais tarde nesta quarta.

Em reação aos avanços, os principais índices nova-iorquinos subiram mais de 1 por cento, movimento seguido pela bolsa brasileira, após duas semanas de nervosismo entre investidores por conta do impasse.

Contudo, grande parte da alta do Ibovespa nesta quarta foi provocada pela OGX, que subiu 38,24 por cento, ampliando valorização de 48 por cento da véspera.

A ação contribuiu com cerca de 640 pontos para a alta do índice, com investidores esperando que a empresa receba injeção de capital dentro de uma reestruturação, o que poderia ajudá-la a evitar um colapso.

Na terça-feira à noite, o Conselho de Administração da OGX anunciou a demissão do presidente-executivo e convocou uma assembleia extraordinária de acionistas para destituir e eleger novos membros do Conselho, abrindo caminho para que Batista deixe o posto de chairman da companhia.   Continuação...