20 de Outubro de 2013 / às 13:34 / 4 anos atrás

IPCA-15 acelera alta a 0,48% em outubro, puxado por alimentos

Por Tiago Pariz

SÃO PAULO, 18 Out (Reuters) - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) acelerou a alta em outubro para 0,48 por cento, acima do esperado e pressionado pelos preços de alimentos, mas em 12 meses a prévia da inflação oficial se afastou um pouco mais do patamar de 6 por cento.

De acordo com os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, o IPCA-15 acumulou alta de 5,75 por cento em 12 meses até outubro, abaixo dos 5,93 por cento até setembro --e abaixo mesmo dos 5,86 por cento registrado no IPCA do mês passado. A meta do governo é de 4,5 por cento, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou menos.

Os resultados ficaram acima das expectativas em pesquisa da Reuters, cujas medianas das projeções indicavam alta mensal de 0,41 por cento e de 5,69 por cento no acumulado em 12 meses.

O resultado indica, segundo analistas, que a inflação continua pressionada e sinaliza com variações mais fortes nos três últimos meses do ano, o que corrobora a percepção de que o Banco Central não vai desacelerar o passo da política monetária.

"Os índices de preços ao consumidor vão ter meses de variações mensais mais contundentes neste quarto trimestre", afirmou a analista de inflação da Tendências Consultoria, Adriana Molinari, citando a maior pressão nos preços de alimentos e bebidas e a difusão mais alta do indicador.

O principal responsável pelo resultado de outubro foi o grupo de Alimentação e Bebidas, cujos preços apresentaram alta mensal de 0,70 por cento em outubro, após registrar leve elevação de 0,04 por cento no mês anterior, com impacto de 0,17 ponto percentual.

O resultado do IPCA-15 deste mês ficou mais disseminado. Segundo o banco Fator, a difusão subiu para 65,8 por cento, ante 59,5 por cento no mês passado.

O IBGE também destacou a alta de 0,67 por cento nos preços do grupo Habitação que, junto com alimentos, foram os principais responsáveis pela aceleração do IPCA-15 de outubro. Juntos, eles responderam por 56 por cento do índice do mês.

A inflação de serviços também continua preocupando os agentes econômicos. Em outubro, ela ficou em 8,8 por cento em outubro na comparação anual, ao mesmo tempo em que o núcleo do IPCA-15 ficou em 6 por cento em relação ao mesmo mês do ano passado, de acordo com o economista-sênior do Goldman Sachs Alberto Ramos.

Este cenário reforça a expectativa é que o BC leve a taxa básica de juros de volta aos dois dígitos. "O Banco Central ainda está bem longe de ancorar a atual e a expectativa de inflação para o centro da meta de 4,5 por cento e continuará a elevar a taxa de juros", afirmou Ramos.

Na véspera, o BC reforçou esse cenário ao publicar a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), na semana passada, quando decidiu elevar a Selic em 0,50 ponto percentual --pela quarta vez seguida nesta intensidade--, para 9,5 por cento.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below