Pão de Açúcar vê forte fim de ano para Via Varejo e Assaí

sexta-feira, 18 de outubro de 2013 17:40 BRT
 

SÃO PAULO, 18 Out (Reuters) - O Grupo Pão de Açúcar espera um forte fim de ano para a unidade de móveis e eletrodomésticos Via Varejo e para a área de atacarejo Assaí, afirmaram executivos da companhia nesta sexta-feira.

"Houve no terceiro trimestre uma demanda bastante importante e com essa demanda continuamos ganhando participação de mercado. Não vemos razão nenhuma para uma mudança nesta tendência até o final do ano", disse Francisco Valim, em sua primeira teleconferência com analistas desde que assumiu o cargo. Valim foi escolhido para o posto no final de agosto, depois de passagem pela presidência da operadora de telefonia Oi.

O grupo Pão de Açúcar encerrou o terceiro trimestre com alta de quase 70 por cento no lucro líquido do período, impulsionado pelo desempenho do Assaí e forte crescimento de vendas e melhoria da operação da Via Varejo.

A unidade deve fazer um pedido de oferta pública primária e secundária de units nas próximas semanas, dentro do segmento Nível 2 da BM&FBovespa, depois que o conselho de administração do grupo de varejo aprovou a emissão nesta semana.

O presidente do grupo, Enéas Pestana, afirmou que apesar do cenário de baixo crescimento da economia, o terceiro trimestre foi marcado por boa performance da empresa e que se mantém otimista sobre os próximos meses. "É um otimismo sustentado por estratégia e não por sonho", disse o executivo.

Às 15h35, as ações do Pão de Açúcar exibiam alta de 0,17 por cento, a 107,8 reais, enquanto o Ibovespa mostrava queda de 0,49 por cento. As ações da Via Varejo, enquanto isso, subiam 3,26 por cento, a 28,50 reais, mas com um volume ínfimo de negócios.

No terceiro trimestre, a companhia cortou custos logísticos e despesas operacionais em 2,1 pontos percentuais sobre um ano antes, enquanto a margem de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) subiu 2,3 por cento.

Segundo Pestana, a estratégia deverá ser mantida nos próximos trimestres, "pois veio para ficar" em um mercado que, apesar de robusto, é marcado por um consumidor "mais seletivo". Os ganhos obtidos permitem ainda continuação de investimento da companhia e Pestana afirmou que a empresa "está preparada para continuar o plano de investimento agressivo".

"Tudo que buscarmos em redução de despesa deverá ser revertido em melhor competitividade de preço e condições de atendimento de nossas lojas", disse Pestana.   Continuação...