Nos EUA, S&P bate novo recorde; ação do Google supera US$1.000

sábado, 19 de outubro de 2013 17:59 BRT
 

Por Julia Edwards

NOVA YORK, 18 Out (Reuters) - O índice Standard & Poor's 500 fechou na máxima histórica pelo segundo pregão consecutivo nesta sexta-feira, com resultados positivos do Google, do Morgan Stanley e outros alimentando o ânimo dos investidores.

Sinais reconfortantes sobre a lucratividade de empresas somaram-se ao alívio de investidores após um acordo ter sido alcançado mais cedo esta semana para solucionar o impasse orçamentário em Washington, que ameaçava desencadear um default.

O índice Dow Jones avançou 0,18 por cento, para 15.399 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 0,65 por cento, para 1.744 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 1,32 por cento, para 3.914 pontos.

Na semana, o Dow Jones acumulou alta de 1,1 por cento, o S&P ganhou 2,4 por cento e o Nasdaq avançou 3,2 por cento. O S&P e o Nasdaq tiveram seus maiores ganhos semanais desde meados de julho.

O Google foi o foco das atenções nesta sexta-feira, com o papel ganhando 13,8 por cento e superando a marca de 1.000 dólares pela primeira vez, tendo encerrado o dia cotado a 1.011,41 dólares.

"Washington e tudo que aconteceu com as discussões fiscais já se dissiparam e estamos voltando a atenção para os resultados. Há companhias que divulgarão os balanços na semana que vem e acredita-se que irão superar as expectativas ou terão bom desempenho. Isso deve permitir que esse tipo de movimento no mercado continue na próxima semana", disse o gestor sênior de portfólio da Synovus Trust Company, Daniel Morgan.

Morgan disse esperar que Netflix e Apple, cujos balanços serão divulgados na próxima semana, tenham performances como a do Google, pois representam as novas tecnologias, ao contrário da IBM, que divulgou receita fraca na quinta-feira.

Se a tese de Morgan se provar correta, pode ajudar a melhorar a perspectiva turva para os resultados do terceiro trimestre, que devem mostrar crescimento de apenas 2,1 por cento na comparação anual, menos da metade dos 4,9 por cento do segundo trimestre e menor ritmo de crescimento em um ano.