Incêndio em Santos ameaça entrega de açúcar contratado na bolsa de Nova York

sexta-feira, 18 de outubro de 2013 20:56 BRT
 

Por Chris Prentice

NOVA YORK, 18 Out (Reuters) - Um incêndio nos armazéns da Copersucar em Santos ameaça prejudicar uma grande entrega de açúcar por intermédio da bolsa de Nova York (ICE Futures).

O fogo consumiu um estoque de 180 mil toneladas de açúcar e os preços dispararam ao longo desta sexta-feira para o nível mais alto em um ano, com operadores preocupados com mais um problema de oferta de curto prazo em um momento em que as chuvas já prejudicam a moagem de cana no centro-sul do Brasil.

O volume destruído representa pouco menos de um décimo das exportações brasileiras de açúcar em um mês. Santos é o principal porto de escoamento de açúcar do Brasil.

Os operadores, ao mesmo tempo que corriam para cobrir posições e calcular impacto sobre a oferta mundial, identificaram outro potencial efeito colateral: como o incêndio pode afertar a habilidade da Copersucar de entregar um grande volume vendido para a Louis Dreyfus no início do mês contra o contrato de vencimento outubro.

Mesmo que o volume afetado nesta sexta-feira seja pequeno comparado com o total vendido para Louis Dreyfus, o dano ao terminal --com capacidade para movimentar 10 milhões de toneladas por ano-- pode atrapalhar a operação de estocagem e embarque da Copersucar, disseram operadores.

Em um dos vencimentos mais movimentados dos últimos anos, a Louis Dreyfus Commodities, uma das maiores tradings do mundo, comprou cerca de 1,49 milhão de toneladas de açúcar, equivalentes a 574 milhões de dólares.

Do total, quase 1 milhão de toneladas é de açúcar brasileiro, com embarque a partir de Santos. Operadores acreditam que a Copersucar seja responsável pelo envio de uma boa parcela deste volume.

Nenhuma carga de açúcar da Dreyfus foi embarcada ainda, disse um operador norte-americano.

"Obviamente isso irá impactar esta entrega e as entregas futuras. Um significativo volume de exportação da Copersucar irá parar pelo futuro próximo e apertar todo mundo", acrescentou o operador.

Uma porta-voz da Louis Dreyfus não quis comentar o assunto.